Sala de Imprensa

Fim de semana tem virada no tempo com frio e chuva

22/05/2024 12:40 - Quarta-feira

De acordo com previsão do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas - CGE da Prefeitura de São Paulo, órgão ligado à Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), o tempo muda no fim de semana, quando uma frente fria associada com uma massa de ar polar finalmente conseguem chegar com força ao Estado de São Paulo.

"O bloqueio atmosférico, massa de ar seco, que persiste sobre o estado de São Paulo há mais de um mês, provocando predomínio de sol, ausência de chuva significativa e temperaturas muito acima da média vai perder força e dar a chance de uma frente fria acompanhada de uma forte massa de ar de origem polar, avançar e provocar chuva e acentuada queda de temperatura”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Thomaz Garcia.

 O mês de maio deve terminar como o mais quente desde 2004, ano em que o CGE da Prefeitura de São Paulo iniciou as medições de temperatura na cidade. Até esta quarta-feira (22) o mês havia registrado temperatura máxima média de 28,8°C, ou seja, 5,3°C acima da média que é de 23,5°C. Já as mínimas também continuam muito acima da média, 18,3°C, ou 3,8°C acima, sendo que o esperado é de 14,5°C. “Para efeito de comparação, de acordo com os dados do CGE, o ano de 2019 é o mais quente com média da mínima de 16,4°C e média da máxima de 25,8°C”, comenta o meteorologista.

Com relação ao volume de chuva, o mês deve terminar entre os mais secos desde que iniciaram as medições em 1995. Até esta quarta-feira (22) a média está em 3,2mm, o que corresponde a apenas 5,8% da média do mês que é de 55,3mm.

“Uma massa de ar seco e quente persistiu sobre o estado de São Paulo nesse último mês, bloqueando as frentes frias no Sul do Brasil. Essa condição atmosférica intensificou ar seco sobre o Sudeste, favorecendo a redução dos índices de umidade e as temperaturas muito acima da média, inclusive com o registro de novos recordes históricos de calor em maio”, explica Thomaz Garcia. “Além disso, a ausência das frentes frias, principal sistema produtor de precipitações nessa época do ano na capital paulista, favoreceu diretamente na falta de chuva significativa”, complementa o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo.

O CGE da Prefeitura de São Paulo registra dados de temperatura desde 2004 e segundo esse histórico, os recordes já ocorridos em um mês de maio foram:

Mínimas:

Menor mínima média: 6,3°C dia 20/05/2022;

Maior mínima média: 19,4°C em 12/05/2019;

Menor mínima absoluta: 1°C dia 27/05/2020 em Engenheiro Marsilac, Zona Sul;

Maior mínima absoluta: 21,6°C em 04/05/2019 na Sé/CGE, Centro;

Máximas:

Menor máxima média: 13°C dia 30/05/2007;

Maior máxima média: 32,4°C dias 04 e 05/05/2024;

Menor máxima absoluta: 11,5°C dias 30/05/2007 e 18/05/2022 em São Mateus, Zona Leste e Perus, Zona Norte;

Maior máxima absoluta: 33,8°C dia 04/05/2018 no Campo Limpo, Zona Sul;

Os recordes de temperatura registrados na cidade, desde 2004 são:

Mínimas:

Menor mínima média: 3,2°C dia 30/07/2021;

Menor mínima absoluta: -3°C dia 30/07/2021 em Parelheiros, Zona Sul;

Maior mínima média: 24,3°C dia 04/02/2014;

Maior mínima absoluta: 26,4°C dia 02/10/2020 em São Miguel paulista, Zona Leste;

Máximas:

Maior máxima média: 37,3°C dia 02/10/2020;

Maior máxima absoluta: 27/09/2004 dia 27/09/2004 na Freguesia do Ò, Zona Norte;

Menor máxima media: 8,3°C dia 24/07/20113;

Menor máxima absoluta: 7,6°C dia 24/07/2013 em Parelheiros, Zona Sul e Freguesia do Ò, Zona Norte;

Os recordes registrados neste ano de 2024 são:

Mínimas:

Menor mínima média: 13,3°C dia 19/04/2024;

Menor mínima absoluta: 8,4°C dia 19/04/2024 em Parelheiros, Zona Sul;

Maior mínima média: 22,9°C dia 16/01/2024;

Maior mínima absoluta: 25°C dia 16/03/2024 em Santo Amaro, Zona Sul;

Máximas:

Maior máxima média: 34,4°C dia 17/03/2024;

Maior máxima absoluta: 36,4°C dia 09/01/2024 na Vila Maria/Guilherme, Zona Norte e Mooca, Zona Leste;

Menor máxima média: 18°C dia 15/05/2024;

Menor máxima absoluta: 16,1°C em Engenheiro Marsilac, Zona Sul, dia 15/05/2024;

“O ar seco ganha força, o que vai garantir o predomínio de sol, temperatura em elevação e baixos índices de umidade até a sexta-feira (24). O tempo muda no sábado (25) com a chegada de uma frente fria que vai provocar chuva e queda de temperatura”, comenta Garcia”.

 

A quinta-feira (23) começa com muitas nuvens e formação de névoa úmida entre a madrugada e o amanhecer. Até o meio da manhã, a nebulosidade se dissipa e o sol passa a predominar, o que vai facilitar a rápida elevação da temperatura. Mínima de 18°C e máxima de 29°C.

 

Na sexta-feira (24), o sol brilha forte e os ventos que sopram do quadrante norte facilitam a rápida elevação da temperatura. Podem ocorrer eventuais rajadas de vento com até 40 Km/h. Entre o fim da tarde e a noite, a aproximação de uma frente fria favorece o aumento de nuvens, entretanto, não há expectativa de chuva. Os termômetros oscilam entre a mínima de 19°C na madrugada e a máxima de 30°C à tarde.

 

Uma frente fria avança para o litoral paulista e traz chuva e acentuada queda de temperatura. Entre a tarde e a noite do sábado (25), esse sistema vai provocar precipitações fracas a moderadas e a persistência das chuvas no domingo (26) poderá gerar alagamentos transitáveis.

 

“A última semana de maio será úmida e fria na capital paulista. A sensação de frio será persistente. Entre a segunda-feira (27) e a quinta-feira (30), a formação e proximidade de uma área de baixa pressão atmosférica próximo ao litoral vai manter o céu com muitas nuvens, a temperatura baixa e condição favorável para chuvas fracas e garoa em toda a faixa leste paulista, o que inclui a Capital e a Grande São Paulo”, finaliza o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo.


Fim de semana da Virada Cultural em São Paulo tem previsão de calor e tempo estável

17/05/2024 13:44 - Sexta-feira

De acordo com previsão do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas - CGE da Prefeitura de São Paulo, órgão ligado à Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), o tempo segue estável durante o fim de semana da Virada Cultural em São Paulo, que acontece nos dias 18 e 19 de maio.

“O predomínio do ar seco vai garantir um final de semana sem previsão de chuva para a capital paulista. Mesmo enfraquecida, a massa de ar seco ainda não permite que as frentes frias atuem com mais força, deixando assim, o tempo estável”, explica o técnico em meteorologia do CGE da Prefeitura de São Paulo, Adilson Nazário.

Até o momento, segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, é o maio mais seco desde o início das medições dos índices pluviométricos em 1995. São apenas 2,0mm de chuva até às 13h do dia 17/05, o que representa 3,6% dos 55,3mm esperados para o mês.

O sábado (18) também será marcado por tempo seco e sem previsão de chuva para a capital paulista e Região Metropolitana de São Paulo. O dia começa com sol entre poucas nuvens e termômetros ao redor dos 17°C. O sol mais uma vez predomina entre poucas nuvens, o que favorece a elevação das temperaturas. Máxima prevista de 28°C e taxas de umidade do ar entre 40% e 90%. 

No domingo (19), madrugada com temperatura média de 18°C e sol entre muitas nuvens ao longo do dia. Por conta disso, a máxima não deve passar dos 25°C, com percentuais mínimos de umidade do ar acima dos 60%. Não há previsão de chuva significativa para a região da Grande São Paulo e Capital.

“O fim de semana será bem aproveitável para os paulistanos curtirem a Virada Cultural. Mesmo com a umidade relativa do ar em índices confortáveis especialmente no domingo, é sempre recomendado usar protetor solar e manter-se hidratado”, comenta Nazário.

Os modelos numéricos de previsão estendida indicam um declínio das temperaturas. A segunda-feira (20), tem previsão de muitas nuvens e chuviscos ocasionais. A temperatura estará amena. A partir da terça-feira (21), o ar seco ganha força e o sol aparece favorecendo a elevação da temperatura. Com isso, a umidade relativa do ar volta a cair e não há previsão de chuva.


Quarta-feira (15) registra a menor máxima média do ano

15/05/2024 17:39 - Quarta-feira

De acordo com os dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas - CGE da Prefeitura de São Paulo, órgão ligado à Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), a tarde desta quarta-feira (15) registrou a menor máxima do ano. Foram 18°C de média na cidade, sendo que anteriormente a menor máxima média do ano havia ocorrido em 23/03/2024 com 18,4°C.

Já a menor temperatura máxima absoluta, aquela registrada em um único local, do ano, também ocorreu nesta quarta-feira (15) com 16,1°C na estação meteorológica automática de Engenheiro Marsilac, Zona Sul. A menor máxima absoluta do ano, anterior a esta havia ocorrido também em Engenheiro Marsilac, Zona Sul, no dia 23/03/2024 com 17,5°C.

Essa máxima mais baixa do ano ocorre após o mês registrar 13 dias com temperatura média acima do esperado. Em maio, a máxima média esperada é de 23,5°C e o mês registrou até o momento, 29,3°C, ou seja, 5,8°C acima do esperado. Já a mínima média esperada é de 14,5°C e a registrada até o momento é de 18,9°C, ou seja, 4,4°C acima. "O enfraquecimento temporário do Bloqueio atmosférico, massa de ar seco, que permanece sobre o interior do Sudeste e o Centro-Oeste do país, permitiu que uma frente fria de fraca atividade avançasse para o litoral paulista”, explica Thomaz Garcia, meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo. “A rápida passagem desse sistema mudou o tempo em toda a faixa leste do estado e quebrou uma sequência de 26 dias sem chuva significativa na capital paulista, complementa Garcia".

O CGE da Prefeitura de São Paulo acompanha e mantém registro de temperaturas na capital paulista desde 2004 e de acordo com este histórico, a menor máxima média foi registrada em 18/05/2022 com 12,6°C na cidade. Já a menor máxima absoluta registrada desde 2004, ocorreu também em 18/05/2022 com 11,5°C na estação de Perus, Zona Norte.

“O ar frio que derrubou a temperatura perde força e se afasta para o oceano nos próximos dias. Com isso, o ar mais seco e quente que está sobre o interior paulista se expande e o sol volta a predominar na Grande São Paulo, que segue sem previsão de chuva”, comenta Thomaz Garcia.

A quinta-feira (16) vai começar com muitas nuvens e formação de névoa úmida, o que vai provocar restrição de visibilidade entre a madrugada e o amanhecer em alguns pontos da região metropolitana. Ainda pela manhã, o sol aparece e passa a predominar, o que vai facilitar a rápida elevação da temperatura. Mínima de 16°C e máxima de 28°C. Os índices de umidade apresentam acentuado declínio, com percentuais mínimos próximos a 35% à tarde.

A sexta-feira (17) será ensolarada, quente e seca na Capital paulista. Os termômetros oscilam entre 18°C ao amanhecer e 30°C no meio da tarde. Os menores índices de umidade se aproximam dos 30%.

Os dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, mostram que maio registrou até o momento apenas 1,9mm, ou seja, 3,4% dos 55,3mm esperados para o mês. Os modelos numéricos de previsão estendida não indicam chuvas significativas até o fim do mês.


Abril de 2024 termina como o quarto menos chuvoso da série histórica

02/05/2024 15:01 - Quinta-feira

De acordo com os dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas - CGE da Prefeitura de São Paulo, órgão ligado à Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), o mês de abril termina como o quatro menos chuvoso da série histórica, com dados pluviométricos desde 1995.

Foram 24,0mm de média na cidade, o que reflete 37,6% dos 63,9mm esperados para a o mês de abril. Portanto, um desvio negativo de 62,4%. Foram 11 dias com índice pluviométrico, exatamente a quantidade de dias esperados com chuva no mês de abril. O dia 17/04/2024 foi o mais chuvoso com 10,2mm de média na cidade.

O ano que registrou a maior sequência de dias com chuva na cidade, em um mês de abril, foi o de 2019 com 18 dias. Já o ano com menor número de dias com índice pluviométrico ocorreu em 2006 com três dias.

“Mesmo com a desaceleração gradativa do fenômeno global EL Niño, a chuva registrada em abril foi mal distribuída, o que resultou num volume médio muito abaixo do esperado para o mês. Essa condição meteorológica, também esteve ligada a bloqueios atmosféricos, que numa linguagem mais simples, são chamados de massas de ar quente e seco", explica o Técnico em Meteorologia do CGE da Prefeitura de São Paulo, Nazário.

Nas regiões da cidade, os índices foram:

Zona Sul: 33,3mm

Zona Leste: 24,4mm

Centro: 22,1mm

Zona Oeste: 17,5mm

Zona Norte: 14,4mm

As subprefeituras com os maiores índices de chuva foram:

Parelheiros, Zona Sul: 84,9mm - A média esperada para esta sub, em abril é de 90,8mm;

Capela do Socorro, Zona Sul: 51,1mm – A média esperada para esta sub, em abril é de 65,6mm;

Ermelino Matarazzo, Zona Leste: 36,8mm - A média esperada para esta sub, em abril é de 66,5mm;

Penha, Zona Leste: 36,1mm - A média esperada para esta sub, em abril é de 67,2mm;

Cidade Ademar, Zona Sul: 34,4mm - A média esperada para esta sub, em abril é de 57,8mm;

As subprefeituras que registraram os menores volumes foram:

Vila Maria/Guilherme, Zona Norte: 14,7mm - A média esperada para esta sub, em abril é de 55,1mm;

Santana/Tucuruvi, Zona Norte: 12,7mm - A média esperada para esta sub, em abril é de 60,3mm;

Casa Verde, Zona Norte: 10,8mm - A média esperada para esta sub, em abril é de 60,5mm;

Freguesia do Ò, Zona Norte: 10,3mm - A média esperada para esta sub, em abril é de 63,7mm;

Perus, Zona Norte: 10,5mm - A média esperada para esta sub, em abril é de 56,7mm;

O CGE da Prefeitura de São Paulo mantém informações de índices de chuva desde 1995 e de acordo com esses dados, os anos de abril mais chuvosos foram:

2012: 145,3mm

2004: 127,3mm

2019: 127,3mm

2017: 119,4mm

2010: 106,4mm

Já os anos em que o mês de abril acumulou os menores índices de chuva foram:

2016: 3,2mm

2000: 3,5mm

2020: 5,6mm

2024: 24,0mm

2018: 31,1mm

Os recordes de chuva já ocorridos no mês de abril, desde 1995 são:

Dia mais chuvoso: 06/04/2017 com 53,4mm de média na cidade;

Ano mais chuvoso: 2012 com 145,3mm de média na cidade;

Ano com o menor índice de chuva: 2016 com 3,2mm de média na cidade;

Ano com o maior número de dias com chuva: 2021 com 20 dias com índice pluviométrico na cidade;

Subprefeitura com o maior índice de chuva em um único dia: Santo Amaro, Zona Sul, com 117,6mm em 14/04/1999;

Subprefeitura com o maior acumulado no mês: Lapa, Zona Oeste, com 259,7mm em 2012;

Ano com o menor número de dias com acumulado de chuva: 2000 com 03 dias;

Com relação às temperaturas, a média da mínima esperada era de 17,2°C na cidade e a média da máxima de 26,2°C. Abril de 2024 registrou mínima média de 18,4°C e máxima média de 28,5C.

 

"A exemplo do mês de março, que registrou chuva abaixo da média, abril também foi marcado por bloqueio atmosférico, que resultou em dias seguidos com temperaturas bem acima da média para o mês. Sistemas meteorológicos que passaram ao largo do litoral paulista e que produzem chuva não conseguiram alterar significativamente os índices pluviométricos. Mesmo com a maioria dos dias de chuva e chuviscos ocorrendo praticamente dentro da primeira quinzena, o mês reservou dias quentes com umidade elevada e sensação de tempo abafado", comenta Nazário.

Médias de temperaturas ocorridas na cidade em abril de 2024, conforme o monitoramento do CGE da Prefeitura de São Paulo:

A menor mínima média na cidade em 29/04/2024 com 13,3°C;

A maior mínima média na cidade, dia 16/04/2024 com 20,6°C;

A maior máxima média na cidade, em 04/04/2024 com 32,6°C;

A menor máxima média na cidade, em 18/04/2024 com 18,9°C;

Temperaturas absolutas, aquelas registradas em um único local, de acordo com o monitoramento do CGE da Prefeitura de São Paulo, em abril de 2024:

A menor mínima absoluta, dia 19/04/2024 em Engenheiro Marsilac, Zona Sul, com 8,4°C;

A maior mínima absoluta, dia 28/04/2024 em Santo Amaro, Zona Sul, com 21,7°C;

A maior máxima absoluta, dia 04/04/2024 na Freguesia do Ò, Zona Leste, com 34,4°C;

A menor máxima absoluta, dia 18/04/2024 em Capela do Socorro (subprefeitura de Parelheiros) e Cidade Ademar Engenheiro Marsilac, Zona Sul, com 17,8°C;

 

O CGE da Prefeitura de São Paulo mantém informações de temperatura na capital paulista desde 2004, e de acordo com esse histórico, os recordes já registrados em um mês de abril foram:

Mínimas:

Menor mínima média na cidade: 9,9°C em 27/04/2004;

Maior mínima média na cidade: 21,9°C em 13/04/2005;

Menor mínima absoluta, aquela registrada em um único local: 7,2°C dia 27/04/2004 em Perus, Zona Norte;

Maior mínima absoluta, aquela registrada em um único local: 24°C dia 24/04/2005 em Vila Prudente, Zona Leste;

Máximas:

Menor máxima média na cidade: 16,2°C em 28/04/2017;

Maior máxima média na cidade: 34,1°C em 08/04/2005;

Menor máxima absoluta, aquela registrada em um único local: 15°C em Jabaquara, Zona Sudeste, dias 29/04/2016 e 28/04/2017;

Maior máxima absoluta, aquela registrada em um único local: 37,6°C em Parelheiros, Zona Sul, dia 08/04/2005;

Abril transcorreu sob influência do fenômeno El Niño com forte intensidade, que tem como característica o aumento das temperaturas superficiais das águas do Pacífico Equatorial. “O mês transcorreu dentro da estação outono, onde normalmente são esperados uma redução do volume de chuva, temperaturas mais baixas, eventos localizados de nevoeiro, principalmente ao amanhecer e as primeiras ondas de frio. Entretanto, essa condição meteorológica não pôde ser observada em decorrência da atuação de bloqueios atmosféricos que impediram principalmente a livre passagem de sistemas frontais pela costa paulista, fato que contribui para a diminuição das temperaturas”, explica Nazário. "De acordo com as simulações atmosféricas mais recentes, maio deste ano deve ter um comportamento atípico, ou seja, com temperaturas bem acima da média dentro da primeira quinzena, complementa o técnico da Prefeitura de São Paulo".

Sobre os recordes de temperaturas ocorridos no ano de 2024 até agora, o CGE da Prefeitura de São Paulo registrou:

Médias na cidade:

Menor mínima média na cidade: 13,3°C dias 19/04/2024;

Maior mínima média na cidade: 22,9°C dia 16/01/2024;

Maior máxima média na cidade: 34,4°C 17/03/2024;

A menor máxima média na cidade: 21°C em 27/03/2024;

Absolutas, aquelas registradas em um único local:

A menor mínima absoluta em Parelheiros, Zona Sul: 8,4°C dia 19/04/2024;

A maior mínima absoluta em Santo Amaro, Zona Sul: 25°C dia 16/03/2024;

Maior máxima absoluta em Vila Maria e na Mooca, Zonas Norte e Leste: 36,4°C dia 09/01/2024;

Menor máxima absoluta em Engenheiro Marsilac, Zona Sul: 17,5°C dia 23/03/2024;

Recordes de chuva em 2024:

Dia mais chuvoso do ano ocorreu em 12/01/2024 com 56,5mm;

Subprefeitura com o maior acumulado, Jabaquara, Zona Sudeste: 376,9mm no mês de janeiro; 

Região com o maior acumulado, Centro, com 336,4mm no mês de janeiro; 

Para maio são esperados 55,3mm de média de chuva na cidade. O maio mais chuvoso desde 1995 foi o do ano de 2005 com 151,8mm. Com relação às temperaturas, a média da mínima esperada é de 14,5°C e a média da máxima é de 23,4°C. “Os modelos numéricos de previsão estendida indicam que maio deve transcorrer com um El Niño perdendo força, portanto esperam-se chuvas dentro da média e temperaturas acima do esperado”, finaliza o técnico em meteorologia do CGE da Prefeitura de São Paulo, Adilson Nazario.


Feriado do Dia do Trabalho tem previsão de tempo firme na capital paulista

29/04/2024 13:14 - Segunda-feira

De acordo com a previsão do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas - CGE da Prefeitura de São Paulo, órgão ligado à Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), o feriado do Dia do Trabalho e o decorrer da semana seguem sem chuvas na cidade.

“O tempo segue seco e ensolarado com temperaturas elevadas para a época do ano e índices de umidade atingindo valores em torno dos 30% durante as tardes”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera. A Defesa Civil Municipal mantém o estado de atenção para altas temperaturas em toda a cidade desde o dia 26/04/2024 às 11h10. Nestas situações é recomendado beber muita água, umidificar ambientes internos, usar protetor solar e evitar a exposição ao sol nas horas mais quentes do dia.

Na terça-feira (30) o sol favorece a rápida elevação das temperaturas no decorrer do dia. Os termômetros devem variar entre mínimas de 20°C e máximas que podem chegar aos 32°C, com índices de umidade atingindo valores próximos aos 30% nas horas mais quentes. No final do dia a nebulosidade aumenta com a chegada da brisa marítima, entretanto não há condição de chuva.

A quarta-feira (01), Feriado do Dia do Trabalho, deve apresentar tempo seco e ensolarado com temperaturas em elevação. As mínimas oscilam em torno dos 19°C, enquanto as máximas podem chegar aos 33°C. A umidade relativa do ar entra em declínio e deve atingir valores próximos aos 30% nas horas mais quentes. No final da tarde a chegada da brisa marítima causa um ligeiro aumento de nebulosidade, mas sem condição para chuva na Grande São Paulo.

Os modelos numéricos de previsão indicam que a massa de ar seco e quente que predomina sobre o Estado de São Paulo deve manter o tempo ensolarado com máximas acima dos 32°C, inclusive para o fim de semana. “Alerta-se para os baixos índices de umidade do ar, que devem atingir valores críticos, abaixo dos 30%, durante as tardes”, explica Pantera.

A média de temperatura mínima esperada para abril é de 17,2°C e a média da máxima de 26,2°C. O mês registrou até o momento mínima média de 18,3°C e máxima média de 28,3°C. A maior temperatura máxima média já registrada em um mês de abril, ocorreu em 08/04/2005 com 34,1°C na cidade. A maior máxima registrada neste ano, em abril, ocorreu em 04/04/2024 com 32,6°C de média na cidade.

Maio começa com temperaturas elevadas, e sem previsão de chuvas. A média da mínima para o mês é de 14,5°C e a média da máxima é de 23,4°C. Já a média de chuva é de 55,3mm. “O mês deve transcorrer quente e com baixo acumulado pluviométrico”, complementa Pantera.

Essa condição de tempo seco e calor para a época do ano ainda deve predominar na primeira quinzena de maio. “Um sistema de alta pressão associado com uma massa de ar seco e quente predomina sobre o interior do Brasil, provocando um bloqueio atmosférico que impede que as frentes frias cheguem ao litoral paulista com força para mudar o tempo. O resultado são dias de sol, tempo seco e temperaturas elevadas para a época do ano”, finaliza o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo.


Capital paulista registra a menor mínima do ano

19/04/2024 12:09 - Sexta-feira

De acordo com os dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas - CGE da Prefeitura de São Paulo, órgão ligado à Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), a madrugada desta sexta-feira (19) registrou as menores temperaturas média e absoluta na cidade.

Foram 13,3°C de média na cidade, de acordo com as estações meteorológicas automáticas do CGE da Prefeitura de São Paulo. Anteriormente, as madrugadas mais frias foram as de 24 e 26 de janeiro, com a média da mínima de 15,5°C.

A mínima absoluta, ou seja, aquele valor aferido em um único local, também foi a mais baixa do ano, com 8,4°C, na estação de Engenheiro Marsilac, região de Parelheiros, no extremo da Zona Sul. A anterior ocorreu no mesmo local, com 12,2°C na madrugada de 01/04/2024.

“Com a chegada do outono, que têm como principal característica a diminuição das chuvas, as temperaturas começam a cair com a chegada das primeiras ondas de frio mais significativas do ano na capital paulista. Nessa época, é comum que recordes de temperatura mínima e até máxima ocorram com maior frequência”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Thomaz Garcia.

Com base nas informações do CGE da Prefeitura de São Paulo, a Defesa Civil Municipal (COMDEC) decretou estado de atenção para baixas temperaturas em toda a cidade a partir das 07h00 da última quinta-feira (18).

O CGE da Prefeitura de São Paulo mantém dados de temperatura na capital paulista desde 2004, e de acordo com essas informações, os recordes são:

3,2°C de média na cidade em 30/07/2021

-3°C como a menor mínima absoluta, aquela registrada em um único local, em 30/07/2021, na estação meteorológica automática de Parelheiros, Zona Sul.

Já os recordes de temperatura mínima ocorridos apenas durante o mês de abril, desde 2004 de acordo com informações do CGE da Prefeitura de São Paulo, são:

9,9°C de média na cidade em 27/04/2004

7,2°C como a menor mínima absoluta, aquela registrada em um único local, em 27/04/2004, na estação meteorológica automática de Perus, Zona Norte.

“O ar seco vai garantir uma jornada ensolarada na Grande São Paulo. Com isso, a máxima alcança os 22°C nesta sexta-feira (19), e os menores índices de umidade se aproximam dos 50%. No fim da tarde, a temperatura apresenta rápido declínio, a quantidade de nuvens aumenta, mas não há previsão de chuva”, explica Thomaz Garcia, meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo. 

O sábado (20) será ensolarado e com termômetros em ascensão. Mínima de 14°C ao amanhecer e máxima de 25°C à tarde. Os menores percentuais de umidade se aproximam dos 40%.

O domingo (21) começa com possibilidade de formação de névoa úmida e nevoeiro. Ainda pela manhã, o sol passa a predominar, o que vai facilitar a ligeira elevação da temperatura. Faz calor à tarde. Os termômetros oscilam entre 16°C na madrugada e 28°C no meio da tarde.

 

Com relação às chuvas, os dados do CGE da Prefeitura de São Paulo mostram que abril acumulou até o momento 23,9mm, o equivalente a 37,4% dos 63,9mm esperados para o mês. “A tendência é de que abril termine com índice pluviométrico abaixo da média, já que o mês têm transcorrido com a presença do ar seco”, finaliza Thomaz Garcia, meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo. 

 

 


Março termina com chuvas ligeiramente abaixo do esperado

01/04/2024 17:54 - Segunda-feira

De acordo com os dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas - CGE da Prefeitura de São Paulo, órgão ligado à Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), o mês de março termina com 138,7mm de índice pluviométrico médio na cidade, sendo que o esperado era 178,5mm, ou seja, foram 22,3% abaixo.

Foram 22 dias com índice pluviométrico, sendo o 05/03/2024 o mais chuvoso com 29,8mm de média na cidade. Historicamente são esperados 21 dias com chuva em março. O ano que registrou a maior sequência de dias com chuva na cidade, em um mês de março, foi o de 2022 com 27 dias. Já o ano com menor número de dias com índice pluviométrico ocorreu em 1997 com 13 dias.

“Como vem acontecendo desde a primavera, devido à influência do fenômeno El Niño, a chuva continua irregular e mal distribuída na capital paulista. A ausência de sistemas meteorológicos bem organizados favoreceu o registro pluviométrico abaixo da média em março”, explica o técnico em meteorologia do CGE da Prefeitura de São Paulo, Adilson Nazário.

Nas regiões da cidade, os índices foram:

Centro: 183,0mm

Zona Norte: 161,4mm

Zona Leste: 144,7mm

Zona Oeste: 125,4mm

Zona Sul: 102,2mm

 

 

As subprefeituras com os maiores índices de chuva foram:

Vila Maria/Guilherme Zona Norte: 224,5mm - A média esperada para esta sub, em março é de 170,8mm;

CGE, Centro: 227,3mm – A média esperada para esta sub, em março é de 196,9mm;

Itaim paulista, Zona Leste: 211,2mm - A média esperada para esta sub, em março é de 196,5mm;

São Miguel paulista, Zona Leste: 211,1mm - A média esperada para esta sub, em março é de 180,7mm;

Ermelino Matarazzo, Zona Leste: 197,1mm - A média esperada para esta sub, em março é de 216,0mm;

As subprefeituras que registraram os menores volumes foram:

Aricanduva/Formosa, Zona Leste: 99,5mm - A média esperada para esta sub, em março é de 180,5mm;

Campo Limpo, Zona Sul: 91,5mm - A média esperada para esta sub, em março é de 172,8mm;

Jabaquara, Zona Sudeste: 88,9mm - A média esperada para esta sub, em março é de 162,9mm;

Capela do Socorro, Zona Sul: 81,5mm - A média esperada para esta sub, em março é de 159,1mm;

Cidade Ademar, Zona Sul: 79,8mm - A média esperada para esta sub, em março é de 179,7mm;

O CGE da Prefeitura de São Paulo mantém informações de índices de chuva desde 1995 e de acordo com esses dados, os anos de março mais chuvosos foram:

2006: 338,8mm

1996: 306,2mm

2015: 253,9mm

2022: 243,8mm

1995: 236,3mm

Já os anos em que o mês de março acumulou os menores índices de chuva foram:

2011: 74,8mm

1997: 76,4mm

2020: 85,0mm

2008: 101,3mm

2004: 111,3mm

Os recordes de chuva já ocorridos no mês de março, desde 1995 são:

Dia mais chuvoso: 29/03/2006 com 73,3mm de média na cidade;

Ano mais chuvoso: 2006 com 338,8mm de média na cidade;

Ano com o menor índice de chuva: 2011 com 73,4mm de média na cidade;

Ano com o maior número de dias com chuva: 2022 com 27 dias com índice pluviométrico na cidade;

Subprefeitura com o maior índice de chuva em um único dia: Parelheiros, Zona Sul, com 141,7mm em 07/03/2017;

Subprefeitura com o maior acumulado no mês: Penha, Zona Leste, com 521,4mm em 2006;

Ano com o menor número de dias com acumulado de chuva: 1997 com 13 dias;

Com relação às temperaturas, a média da mínima esperada era de 19°C na cidade e a média da máxima de 28,4°C. Março de 2024 registrou mínima média de 19,6°C e máxima média de 28,8°C.

A persistência de um forte bloqueio atmosférico entre os dias 13 e 21, chamou a atenção neste mês de março, contribuindo para que as máximas superassem os 32°C. “Somente entre os dias 22 e 29, é que as máximas despencaram, devido ao rompimento deste sistema, causando uma queda das temperaturas. Ainda assim, a média ficou ligeiramente acima do esperado", comenta Nazário.

Médias de temperaturas ocorridas na cidade em março de 2024, conforme o monitoramento do CGE da Prefeitura de São Paulo:

A menor mínima média na cidade em 24/03/2024 com 16,3°C;

A maior mínima média na cidade, dia 16/03/2024 com 22,9°C;

A maior máxima média na cidade, em 17/03/2024 com 34,4°C;

A menor máxima média na cidade, em 28/03/2024 com 21,1°C;

Temperaturas absolutas, aquelas registradas em um único local, de acordo com o monitoramento do CGE da Prefeitura de São Paulo, em março de 2024:

A menor mínima absoluta, dia 26/03/2024 em Capela do Socorro, Zona Sul, com 14,2°C;

A maior mínima absoluta, dia 16/03/2024 em Santo Amaro, Zona Sul, com 25°C;

A maior máxima absoluta, dia 04/03/2024 na Mooca, Zona Leste, com 35,2°C;

A menor máxima absoluta, dia 23/03/2024 em Engenheiro Marsilac, Zona Sul, com 17,5°C;

O CGE da Prefeitura de São Paulo mantém informações de temperatura na capital paulista desde 2004, e de acordo com esse histórico, os recordes já registrados em março foram:

Mínimas:

Menor mínima média na cidade: 12°C em 31/03/2011;

Maior mínima média na cidade: 23,1°C em 12/03/2010;

Menor mínima absoluta, aquela registrada em um único local: 8,9°C dia 26/03/2020 em Engenheiro Marsilac, Zona Sul;

Maior mínima absoluta, aquela registrada em um único local: 24,8°C dia 02/03/2009 em Freguesia do Ò, Zona Norte;

Máximas:

Menor máxima média na cidade: 17,6°C em 18/03/2013;

Maior máxima média na cidade: 35,3°C em 01/03/2012;

Menor máxima absoluta, aquela registrada em um único local: 17°C em Freguesia do Ò, Zona Norte, dia 18/03/2013;

Maior máxima absoluta, aquela registrada em um único local: 38,4°C em Parelheiros, Zona Sul, dias 09/03/2005 e 10/03/2005;

Março transcorreu sob influência do fenômeno El Niño com forte intensidade, que tem como característica o aumento das temperaturas superficiais das águas do Pacífico Equatorial, e também marcou o fim do verão e a chegada do outono em 20/03 às 00h06. “Esse combo, verão mais El Niño, trouxe para a região Sudeste um aumento das chuvas, que durante o verão se formam principalmente pelas frentes frias, e a combinação do calor e da umidade, além do aumento das temperaturas”, comenta Nazário. “A partir de agora, com a chegada do outono, é esperado redução do volume de chuva, temperaturas mais baixas, nevoeiro, principalmente ao amanhecer, e ondas de frio, que devem acontecer a partir da segunda quinzena de maio”, complementa Nazário.

Sobre os recordes de temperaturas ocorridos no ano de 2024 até agora, o CGE da Prefeitura de São Paulo registrou:

Médias na cidade:

Menor mínima média: dias 24 e 26/01/2024 com 15,5°C na cidade;

Maior mínima média na cidade: 22,9°C dia 16/01/2024;

Maior máxima média: 17/03/2024 com 34,4°C;

A menor máxima média na cidade: 21°C em 27/03/2024

Absolutas, aquelas registradas em um único local:

A menor mínima absoluta: Engenheiro Marsilac, Zona Sul: 13,4°C dia 05/02/2024;

A maior mínima absoluta: Santo Amaro, Zona Sul: 25°C dia 16/03/2024;

Maior máxima absoluta: 09/01/2024 com 36,4°C na Vila Maria e na Mooca, Zonas Norte e Leste;

Menor máxima absoluta: Engenheiro Marsilac, Zona Sul, com 17,5°C em 23/03/2024;

Recordes de chuva em 2024:

Dia mais chuvoso do ano ocorreu em 12/01/2024 com 56,5mm;

Subprefeitura com o maior acumulado, Jabaquara, Zona Sudeste: 376,9mm no mês de janeiro; 

Região com o maior acumulado, Centro, com 336,4mm no mês de janeiro; 

 

Para abril são esperados 63,7mm de média de chuva na cidade. O abril mais chuvoso desde 1995 foi o do ano de 2012 com 145,3mm. Com relação às temperaturas, a média da mínima esperada é de 17,2°C e a média da máxima é de 26,2°C. “Os modelos numéricos de previsão estendida indicam que abril deve transcorrer com um El Niño perdendo força, portanto esperam-se chuvas e temperaturas dentro à ligeiramente acima da média”, finaliza o técnico em meteorologia do CGE da Prefeitura de São Paulo, Adilson Nazário.


Feriado prolongado de Páscoa tem previsão de temperaturas em elevação

27/03/2024 15:22 - Quarta-feira

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas - CGE da Prefeitura de São Paulo, órgão ligado à Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), o feriado prolongado de Páscoa tem previsão de temperaturas amenas e chuvas com baixo potencial para alagamentos intransitáveis.

“Com base nas últimas simulações atmosféricas, as chuvas previstas para os próximos dias têm baixo potencial para alagamentos intransitáveis e as temperaturas se elevam em comparação aos últimos dias, mas sem calor extremo”, explica o técnico em meteorologia do CGE da Prefeitura de São Paulo, Adilson Nazário.

A quinta-feira (28) ainda tem condição de céu com muitas nuvens e pancadas

de chuva fraca a moderada entre a tarde e o início da noite. “Em função da nebulosidade as temperaturas não sobem muito”, comenta Nazário. Mínima de 18°C e a máxima não passa dos 23°C. A umidade do ar se mantém elevada, com valores mínimos acima dos 70%.

Na sexta-feira (29) o cenário atmosférico se repete, ou seja, grande quantidade de nuvens e curtos períodos de sol, com pancadas de chuva entre a tarde e o início da noite. “No geral, a chuva deve ocorrer com fraca intensidade, o que diminui o potencial para a formação de alagamentos”, comenta o técnico do CGE da Prefeitura de São Paulo. Mínima de 18°C e máxima por volta dos 25°C, com índices mínimos de umidade próximos aos 60%.

O fim de semana segue sem previsão de chuvas, com mínima média em 18°C e máxima média em 26°C e 27°C no sábado (30) e domingo (31) respectivamente. Não há condição para calor extremo.

“De acordo com os modelos numéricos de previsão estendida, a primeira semana de abril deve apresentar temperatura máxima em elevação e redução do volume de chuva”, finaliza Nazário, técnico em meteorologia do CGE da Prefeitura de São Paulo.


Verão termina com chuvas abaixo da média e temperaturas ligeiramente acima

20/03/2024 14:13 - Quarta-feira

De acordo com os dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas - CGE da Prefeitura de São Paulo, órgão ligado à Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), foram 597,5mm de chuva até às 23h59min do dia 20/03/2024, último dia da estação, sendo que o esperado eram 667,3mm, ou seja, 69,8mm abaixo, o que são 10,5% abaixo da média.

“O verão 2023/2024 transcorreu sob a influência do fenômeno El Niño, caracterizado pelo aquecimento anômalo das águas superficiais do Pacífico Equatorial, portanto, é comum durante a atuação deste fenômeno, um aumento das temperaturas e chuvas no Sudeste”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Thomaz Garcia. “Com o aumento das temperaturas no verão, outro fenômeno também se torna comum durante a estação no Sudeste, que são as massas de ar quente e seco, que impedem a livre passagem de frentes frias. E foi o que justamente aconteceu, o que contribuiu para chuvas irregulares e ligeiramente abaixo da média”, complementa Garcia.

O CGE da Prefeitura de São Paulo mantém dados de chuva na capital paulista desde 1995, e segundo esses dados, os anos em que o verão foi mais chuvoso, são:

1995/1996: 922,4mm

2018/2019: 894,3mm

1998/1999: 876,1mm

2009/2010: 855,1mm

2014/2015: 790,5mm

Já os menos chuvosos foram:

2017/2018: 413,4mm

2007/2008: 528,8mm

2000/2001: 545,7mm

2002/20223: 560,1mm

2004/2005: 575,9mm

O verão compreende os meses de dezembro, a março, e neste período, os dias mais chuvosos em cada mês, segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, foram:

23/12/2023: 30,9mm de média na cidade;

12/01/2024: 56,5mm de média na cidade, sendo o dia mais chuvoso do verão;

13/02/2024: 32,6mm de média na cidade;

05/03/2024: 29,8mm de média na cidade;

A maior chuva já registrada na cidade, desde 1995 de acordo com dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, ocorreu durante um verão. No dia 10/02/2020 com 92,4mm de média na cidade.

O verão que começou em 22/12/2023 às 00h27 e terminou nesta quarta-feira 20/03 às 00h06 com a chegada do outono, foi marcado por ondas de forte calor e temperaturas ligeiramente acima da média prevista em cada mês.

A média de temperatura durante o verão 2024:

Dezembro de 2023:

Mínima média esperada: 18,7°C na cidade; mínima média registrada: 19°C na cidade;

Máxima média esperada: 28,2°C na cidade; máxima média registrada: 30,1°C na cidade;

Janeiro de 2024:

Mínima média esperada: 19,4°C na cidade; mínima média registrada: 18,9°C na cidade;

Máxima média esperada: 28,8°C na cidade; máxima média registrada: 28,7°C na cidade;

Fevereiro de 2024:

Mínima média esperada: 19,5°C na cidade; mínima média registrada: 19,4°C na cidade;

Máxima média esperada: 29,3°C na cidade; máxima média registrada: 29,5°C na cidade;

Março de 2024:

Mínima média esperada: 19°C na cidade; mínima média registrada: 20,5°C na cidade até o dia 19/03;

Máxima média esperada: 28,4°C na cidade; máxima média registrada: 30,7°C na cidade até o dia 19/03;

De acordo com dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, os recordes de temperatura no verão 2024 ocorreram em:

24/01/2024 e 26/01/2024: 15,5°C de média na cidade;

28/12/2023: 11,9°C na estação meteorológica de Engenheiro Marsilac, Zona Sul, sendo a menor mínima absoluta, aquela registrada em um único local, do verão;

17/03/2024: 23,8°C média na cidade sendo a maior mínima do verão;

17/03/2024: 26,5°C na estação meteorológica de CGE/Sé, Centro, sendo a maior mínima absoluta, aquela registrada em um único local, do verão.

29/12/2023: 34,7°C de média na cidade, sendo a maior máxima do verão;

09/01/2024: 36,4°C na estação meteorológica da Vila Mariana, Zona Sudeste, sendo a maior máxima absoluta, aquela registrada em um único local, do verão;

23/01/2024: 20,4°C na cidade, sendo a menor máxima média do verão;

23/01/2024: 17,8°C nas estações meteorológicas de Engenheiro Marsilac e Parelheiros, Zona Sul, com 17,8°C, sendo a menor máxima absoluta, aquela temperatura registrada em um único local, do verão;

O CGE da Prefeitura de São Paulo mantém acompanhamento de temperaturas na cidade desde 2004.

O outono é a transição entre o clima chuvoso e quente do verão e o período frio e seco do inverno e tem como principal característica a redução gradual das chuvas e diminuição das temperaturas. No decorrer da estação, a frequência de nevoeiros e eventuais geadas, principalmente com a aproximação do inverno, é maior. O outono termina em 21/06/2024 às 17h51.


Outono começa nesta quarta-feira (20) às 00h06

19/03/2024 15:26 - Terça-feira

O outono começa nesta quarta-feira (20) às 00h06, e têm como principal característica a diminuição das chuvas e temperaturas mais amenas para a capital paulista. De acordo com os dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas - CGE da Prefeitura de São Paulo, órgão ligado à Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), são esperados 202,0mm de chuva durante toda a estação, que termina em 21/06/2024 às 17h51.

“Os modelos numéricos indicam que o fenômeno El Niño, caracterizado pelo aquecimento anômalo das águas superficiais do Pacífico Equatorial, deve enfraquecer nos próximos meses, dando lugar a um período de neutralidade climática no decorrer do outono, o que sugere chuvas e temperaturas em torno do esperado”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.

De acordo com dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, que têm dados de chuva na capital paulista desde 1995, os outonos mais chuvosos foram:

2021: 406,8mm

2017: 357,1mm

2016: 327,1mm

2005: 287,0mm

2019: 255,0mm

Já os menos chuvosos foram:

2000: 50,2mm

2020: 68,5mm

2003: 91,8mm

2022: 127,7mm

2009: 128,5mm

Com relação às temperaturas, durante os meses do outono podemos esperar:

Abril: Mínima média em 17,2°C; máxima média: 26,3°C;

Maio: Mínima média em 14,5°C; máxima média: 26,5°C;

Junho: Mínima média em 13,4°C; máxima média: 22,9°C;

O CGE da Prefeitura de São Paulo mantém dados de temperatura desde 2004 e dente as informações podemos citar os seguintes recordes de média na cidade, dentro de cada mês do outono:

Abril:

Médias na cidade:

Menor mínima média: 9,9°C na cidade em 27/04/2004;

Maior máxima média: 34,1°C na cidade em 08/04/2005;

 

Maio:

Médias na cidade:

Menor mínima média: 6,3°C na cidade em 20/05/2022;

Maior máxima média: 31,7°C na cidade em 07/05/2010;

 

Junho:

Médias na cidade:

Menor mínima média: 29,4°C na cidade em 13/06/2005;

Maior máxima média: 28,6°C na cidade em 15/06/2005;

O outono se caracteriza pela redução gradual das chuvas e diminuição das temperaturas. Marca também a transição entre o clima chuvoso e quente do verão e o período frio e seco do inverno.

No decorrer da estação, a frequência de nevoeiros e eventuais geadas, principalmente com a aproximação do inverno, é maior. “Nesse período, as madrugadas começam a ficar mais frias, enquanto ao longo do dia o sol favorece a elevação das temperaturas, provocando grande amplitude térmica, ou seja, diferença das temperaturas máximas e mínimas registradas em um mesmo período”, comenta Pantera.

É também durante a estação que ocorrem as primeiras ondas de frio, provocadas pela incursão das massas de ar frio de origem polar. Os volumes de chuva sofrem uma redução gradual, à medida em que se aproximam do inverno, estação mais seca do ano na região Sudeste e Centro-Oeste do Brasil.

Maio de 2024


D S T Q Q S S
28 29 30 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31

Abril de 2024


D S T Q Q S S
31 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30

Março de 2024


D S T Q Q S S
25 26 27 28 29 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31