Sala de Imprensa

Domingo (07) tem novo recorde de temperatura mínima no ano

07/07/19 11:07 - Domingo

De acordo com dados das estações meteorológicas automáticas do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, a madrugada deste domingo (07) foi a mais fria do ano. Foram registrados 5°C de média na Cidade, já na região de Engenheiro Marsilac, no extremo sul da capital paulista, o valor foi ainda menor com -0,2°C.

Anteriormente, a manhã mais fria do ano havia ocorrido em 06/07/2019 quando a Cidade marcou 6,3°C em média e no mesmo dia, em Engenheiro Marcilac, Zona Sul, o valor foi de 2,3°C. Ainda de acordo com a série histórica do CGE da Prefeitura de São Paulo, que compila dados de temperatura desde 2004, o recorde absoluto de frio ocorreu no dia 13 de junho de 2016, quando os termômetros registraram 3,5°C em média na Cidade e a mínima de -0,6°C na Capela do Socorro, também na Zona Sul. “A intensa massa de ar polar que chegou ao estado no final desta semana causou o acentuado declínio das temperaturas. Este quadro é comum para a época do ano, especialmente após a passagem de uma frente fria intensa que finalmente conseguiu romper o bloqueio atmosférico que persistia desde o início de junho”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.

TENDÊNCIA PARA OS PRÓXIMOS DIAS:

O ar polar continua influenciando o tempo nos próximos dias, que segue seco e estável com temperaturas baixas na Grande São Paulo.

Na segunda-feira (08) o tempo não muda muito e persistem as condições de sol e temperaturas baixas. Os termômetros variam entre mínimas de 6ºC e máximas que não devem superar os 18ºC. Não há previsão de chuva.

A terça-feira (09), feriado da Revolução Constitucionalista de 1932, segue com sol e temperaturas baixas na Grande São Paulo. As mínimas oscilam em torno dos 7°C, enquanto as máximas podem chegar aos 20°C. Não há expectativa de chuva.


Capital paulista tem a manhã mais fria do ano segundo CGE da Prefeitura de São Paulo

06/07/19 11:31 - Sábado

De acordo com dados das estações meteorológicas automáticas do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, a madrugada deste sábado (06) foi a mais fria do ano. Foram registrados 6,3°C de média na Cidade, já em Engenheiro Marsilac, na Zona Sul, o valor foi ainda menor com 2,3ºC.

Anteriormente, a manhã mais fria do ano havia ocorrido em 09/06/2019 quando a Cidade marcou 9,4°C em média e no mesmo dia, em Engenheiro Marsilac, Zona Sul, o valor foi de 3,5°C. “A chegada de uma intensa massa de ar de origem polar provocou acentuado declínio das temperaturas, o que em conjunto com o céu aberto favoreceu um maior resfriamento durante a madrugada”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.

TENDÊNCIA PARA OS PRÓXIMOS DIAS:

A massa de ar polar mantém o tempo seco e estável com temperaturas baixas nos próximos dias. Apesar do predomínio de sol, a sensação de frio deve persistir na Grande São Paulo.

O domingo (07) segue com sol e temperaturas baixas na Grande São Paulo. As mínimas oscilam em torno dos 5°C, enquanto as máximas permanecem abaixo dos 16°C. Não há expectativa de chuva.

Na segunda-feira (08) o tempo não muda muito e persistem as condições de sol e temperaturas baixas. Os termômetros variam entre mínimas de 6ºC e máximas que não devem superar os 18ºC. Não há previsão de chuva.


Capital paulista tem a tarde mais fria do ano

05/07/19 15:41 - Sexta-feira

Segundo dados das estações meteorológicas automáticas do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, foi registrada nesta sexta-feira (05) a tarde mais fria do ano. Foram 14,5°C de média, sendo que no bairro de Parelheiros, na Zona Sul, esse valor foi ainda mais baixo, com 13,2°C. Antes, a tarde mais fria do ano havia ocorrido em 04/06/2019, com 17,9°C.


"A massa de ar polar deve deixar o tempo gelado. O sol retorna nos próximos dias, mas a sensação de frio persiste na Grande São Paulo. São esperados novos recordes de temperatura", comenta o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.


No sábado (06) o sol retorna entre nuvens no decorrer do dia, entretanto a sensação será de muito frio na Capital paulista. Os termômetros variam entre mínimas de 6ºC e máximas que não devem superar os 15ºC. Não há previsão de chuva.

O domingo (07) segue com sol e temperaturas baixas na Grande São Paulo. As mínimas oscilam em torno dos 5°C, enquanto as máximas permanecem abaixo dos 16°C. Não há expectativa de chuva.


Chuvas de julho


As chuvas ocorridas nos dias 04 e 05 de julho já ultrapassaram a média esperada para o mês, que é de 43,5mm. Apenas no dia 04/07/2019 foram 69,2mm e hoje, sexta-feira (05) até às 13h da tarde foram registrados mais 22,2mm, um total de 91,4mm, que são 110% acima da média, ou seja, mais que o dobro esperado para o mês.


Segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo somando os dias 04 e 05 de julho, todas as regiões da Cidade ultrapassaram o volume de chuvas previstos para o mês, que é de 43,5mm:

Centro - 106,9mm

Zona Norte - 102,2mm

Zona Oeste - 89,4mm 

Zona Leste - 89,2mm

Zona Sul - 83,2mm


Todas as subprefeituras da Cidade também contabilizaram índices acima da média esperada para o mês. Algumas superaram os 100mm:


CGE - Centro - 115,5mm

Jaçanã/Tremembé, Zona Norte - 116,2mm

Santana, Zona Norte - 111,3mm

Pinheiros, Zona Oeste - 102,7mm

Casa Verde, Zona Norte - 101,5mm

Vila Maria/Guilherme, Zona Norte - 101,2mm


Segundo o CGE da Prefeitura de São Paulo que compila dados desde 1995, observando os maiores volumes de precipitação em 24 horas,  a chuva ocorrida entre às 00h do dia 04/07/2019 e 00h do dia 05/07/2019 marcam a sétima maior dentro desse período:


1°- 8/12/2009 -  77,4mm

2°- 24/05/2005 - 76,2mm

3°- 29/03/2006 - 73,3mm

4°- 16/02/2009 - 72,9mm

5°- 08/09/2015 - 69,3mm

6°- 01/10/2011 - 87,1mm

7°- 04/07/2019 - 69,2mm


Verificando os meses desde 1995, de acordo com dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, a chuva do dia 04/07/2019 que acumulou 69,2mm, foi a maior em 24 horas já registrada durante um mês de julho.


De acordo com os modelos numéricos de previsão estendida, após o feriado prolongado da Revolução Constitucionalista, os dias seguem sem chuvas e com a sensação de frio persistindo nas madrugadas e início das manhãs. As máximas se elevam gradativamente e devem ficar próximas da média esperada para o mês de julho, que segundo o CGE da Prefeitura de São Paulo, é de 22,9°C.


Chuvas ultrapassam média do mês na Capital paulista

05/07/19 09:57 - Sexta-feira

De acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, as chuvas ocorridas nos dias 04 e 05 já ultrapassaram a média esperada para o mês de julho, que é de 43,5mm. Apenas no dia 04/07/2019 foram 69,2mm e hoje, sexta-feira (05) até às 07h da manhã foram registrados mais 18,2mm, um total de 87,4mm, que correspondem a 101% acima da média, ou seja, um pouco mais que o dobro do esperado.

"Essa condição de chuvas generalizadas, não é muito comum para a época do ano especialmente como as que vimos nos últimos dois dias, mas costuma ocorrer após um longo período de tempo seco, quando uma frente fria de maior intensidade finalmente consegue romper o bloqueio atmosférico”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.

Após a passagem desse sistema frontal, uma massa de ar polar com forte intensidade deve influenciar as temperaturas mínimas e máximas durante todo o ferido prolongado da Revolução Constitucionalista.

No sábado (06) o sol retorna entre nuvens no decorrer do dia, entretanto a sensação será de muito frio Capital paulista. Os termômetros variam entre mínimas de 6ºC e máximas que não devem superar os 15ºC. Não há previsão de chuva.

O domingo (07) segue com sol e temperaturas baixas na Grande São Paulo. As mínimas oscilam em torno dos 5°C, enquanto as máximas permanecem abaixo dos 16°C. Não há expectativa de chuva.

Na segunda-feira (08) o frio segue influenciando as temperaturas. A mínima começa com 9°C e máxima não passa dos 18°C. Não há previsão de chuvas, segundo os meteorologistas do CGE da Prefeitura de São Paulo.

Na terça-feira (09) feriado da Revolução Constitucionalista, o dia começa com mínima de 10°C. Não há condição para chuva, mas a sensação de frio persiste. A máxima não deve passar dos 21°C.

De acordo com os modelos numéricos de previsão estendida, após o feriado prolongado os dias seguem sem chuvas e com a sensação de frio persistindo nas madrugadas e início das manhãs. As máximas se elevam gradativamente e devem ficar próximas da média esperada para o mês de julho, que segundo o CGE da Prefeitura de São Paulo, é de 22,9°C.


Feriado prolongado com previsão de temperaturas baixas

04/07/19 13:38 - Quinta-feira

De acordo com a previsão dos meteorologistas do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, o feriado prolongado deve transcorrer sem chuvas, mas com temperaturas baixas, inclusive com possibilidade de recorde de temperatura mínima no sábado (06).


A chuva continua na sexta-feira (05), inclusive na madrugada e se prolonga pelo menos até o fim da tarde, quando as precipitações começam a se afastar da Capital paulista. Temperatura mínima de 11°C e máxima de apenas 15°C.


“O ar frio polar ingressa e se potencializa com os ventos de sul/sudeste. Os índices de umidade do ar seguem elevados e acima dos 60%. O frio chega mesmo a partir da madrugada de sábado (06), quando os termômetros devem registrar valores médios em torno dos 6°C, com expectativa de novo recorde de temperatura mínima para a Capital paulista”, explica o técnico em meteorologia do CGE da Prefeitura de São Paulo, Adilson Nazário.


Com o afastamento da frente fria, o sábado (06) amanhece gelado em São Paulo. Sol entre poucas nuvens e termômetros na casa dos 6°C. A temperatura máxima não deve superar os 15°C e a sensação de frio será potencializada em função do ar frio polar e dos ventos que sopram do quadrante sul/sudeste. Nos bairros mais afastados e próximos de serra os termômetros devem registrar temperaturas mais baixas do que a média da Cidade. O dia vai terminar sem previsão de chuvas.


No domingo (07) pouca coisa muda nas condições do tempo. O dia amanhece com mínima de 7°C. O ar frio de origem polar será potencializado pelos ventos que sopram do mar, com isso as temperaturas não sobem muito. A máxima prevista é de 16°C, porém a sensação térmica deve ficar bem abaixo da temperatura registrada nos termômetros.


Na segunda-feira (08) o frio segue influenciando as temperaturas. A mínima começa com 9°C e máxima não passa dos 21°C. Não há previsão de chuvas, segundo os meteorologistas do CGE da Prefeitura de São Paulo.


Na terça-feira (09) feriado da Revolução Constitucionalista, o dia começa com mínima de 12°C. Não há condição para chuva, mas a sensação de frio persiste. A máxima não deve passar dos 21°C.


De acordo com os modelos numéricos de previsão estendida, após o feriado prolongado os dias seguem sem chuvas e com a sensação de frio persistindo nas madrugadas e início das manhãs. As máximas se elevam um pouco e devem ficar próximas da média esperada para o mês de julho, que segundo o CGE da Prefeitura de São Paulo, é de 22,9°C.


Capital paulista pode ter a primeira onda de frio do inverno

01/07/19 14:59 - Segunda-feira

De acordo com a equipe de meteorologistas do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, os modelos numéricos de previsão estendida indicam que a Capital paulista terá a primeira onda de frio intensa do inverno 2019, já que a temperatura mínima média na Cidade deve ser de 5°C, enquanto a máxima média deve marcar 14°C no sábado (06).


“O motivo para essa queda acentuada de temperatura é uma frente fria que vem acompanhada, em sua retaguarda, de uma forte massa de ar frio de origem polar que vai passar pelo bloqueio atmosférico que manteve o tempo seco e as temperaturas elevadas nas últimas semanas”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Thomaz Garcia.


Segundo os modelos numéricos de previsão estendida, o tempo muda na quinta-feira (04) quando uma frente fria traz chuvas que podem ser fortes em alguns momentos e também queda nas temperaturas. As precipitações continuam na sexta-feira (05) diminuindo durante a tarde. A mínima prevista será de 11°C e a máxima não deve passar dos 16°C. “No dia 05/07/2019 por conta da entrada do ar frio, a temperatura mínima deve ocorrer durante o fim da noite sendo que normalmente ela ocorre no final da madrugada”, comenta Garcia.


Tudo indica que nas madrugadas de sábado (06) e domingo (07) teremos mínima na Cidade em torno de 5°C, e nos bairros mais afastados esse valor pode ser ainda menor.


A temperatura mínima mais baixa do ano ocorreu em 09/06/2019 quando a Cidade marcou 9,4°C de média, enquanto que em Engenheiro Marsilac, Zona Sul, o valor foi ainda menor com 3,5°C.


Já a menor máxima do ano ocorreu em 04/06/2019 com 17,9°C de média em São Paulo. Neste mesmo dia, nos bairros de Jabaquara e Parelheiros, ambos na Zona Sul, os termômetros não superaram 16,5°C e 16,2°C respectivamente.


Segundo o CGE da Prefeitura de São Paulo, que compila dados de temperatura desde 2004, a menor mínima média de toda a série na Cidade foi de 3,5°C em 13 de junho de 2016. Nesse mesmo dia foi observada a menor temperatura mínima absoluta, com -0,6°C na estação de Capela do Socorro, na Zona Sul.


Já a temperatura máxima mais baixa, de acordo com o histórico do CGE, ocorreu em 24/07/2013 com 8,3°C na Cidade, porém nos bairros de Parelheiros, Zona Sul e Freguesia do Ò, Zona Norte, foram registrados 7,6°C.


Já a mínima mais baixa ocorrida apenas no mês de julho, segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, ocorreu no dia 24/07/2013 com 5,3°C de média e a máxima, no mesmo dia, não passou dos 8,3°C. Este valor de temperatura máxima é o menor já registrado tanto num mês de julho como em toda a base de dados do CGE.


A tendência para julho é a continuidade do fenômeno El Niño que esquenta as águas do Pacífico Equatorial e consequentemente as temperaturas. A média das mínimas previstas para o mês é de 12,6°C com máximas de 22,9°C. Com relação às chuvas, a média para o mês é de 43,5mm.


Junho termina com chuvas abaixo da média e temperaturas acima

01/07/19 13:38 - Segunda-feira

De acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, junho terminou com temperaturas acima da média e chuvas abaixo do esperado.


A média para junho, com relação às chuvas, é de 51,1mm mas foram registrados apenas 37mm, ou seja, aproximadamente 28% abaixo do esperado. O dia mais chuvoso ocorreu em 02 de junho com 14,8mm. Os dias 01/06/2019 e 03/06/2019 tiveram estado de atenção para alagamentos e registraram 5,8mm e 12,8mm respectivamente. Não houve transbordamento de rios e córregos.


O junho com menor volume acumulado, segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo que compila informações de precipitação desde 1995, foi o de 2002 quando a Capital paulista registrou apenas 1,5mm, ou seja 97% abaixo do esperado que é 51,1mm, enquanto o junho mais chuvoso ocorreu em 2012 com 191,4mm, ou seja 274% acima do esperado.


Junho não registrou estado de atenção para baixa umidade relativa do ar, porém foram quatro dias com decretação de estado de atenção para baixas temperaturas e seis dias com estado de alerta, decretados pela Defesa Civil Municipal com base nos dados do CGE da Prefeitura de São Paulo.


As temperaturas no mês de junho oscilaram ligeiramente acima do esperado. A média das mínimas previstas é de 13,2°C e as máximas de 22,7°C. O mês registrou mínimas de 14,3°C e máximas de 24,5°C em média. “Isso ocorre devido a atuação do fenômeno El Niño que esquenta as águas do Pacífico Equatorial, e deve seguir durante todo o inverno que termina em 23 de setembro às 04h50 da manhã”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Thomaz Garcia.


Para julho são esperados 43,5mm de chuva com temperaturas mínimas em 12,6°C em média e máximas com média de 22,9°C.


Feriado prolongado de Corpus Christi transcorre sem chuvas significativas

19/06/19 11:09 - Quarta-feira


De acordo com previsão do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, na quinta-feira (20), dia do feriado de Corpus Christi e véspera da chegada do inverno, o tempo começa a mudar na Capital paulista. “Uma frente fria de fraca intensidade e bem afastada da costa de São Paulo, vai trazer chuva fraca e chuviscos isolados, principalmente a partir da tarde. A mínima prevista é de 15°C, e por conta do aumento da nebulosidade no decorrer do dia, a máxima é de apenas 22°C”, explica o técnico em meteorologia do CGE da Prefeitura de São Paulo, Adilson Nazário. Os índices de umidade do ar voltam a subir temporariamente, com os menores valores próximos dos 55%.


Na sexta-feira (21) primeiro dia do inverno, há condição para garoa entre final da madrugada e começo da manhã, em função da mudança na direção dos ventos, que passam a soprar do mar em direção ao leste paulista, proporcionando sensação de frio para as regiões mais próximas do litoral e da serra do mar. A mínima esperada é de 13°C com máxima de 21°C.


No sábado (22) o dia deve começar com nevoeiro e temperatura na casa dos 13°C. O sol predomina ao longo do dia e a máxima chega aos 24°C. Sem previsão de chuvas.


No domingo (23) esquenta um pouco mais, porém o dia começa com formação de nevoeiro e mínima de 14°C com sol entre poucas nuvens. O ar seco ganha força diminuindo os percentuais de umidade durante a tarde, que podem atingir valores próximos aos 30%. O tempo aberto possibilita uma maior amplitude térmica com máxima de 26°C. Não há previsão de chuvas.


Os modelos numéricos de previsão indicam uma elevação gradual nas temperaturas no início da próxima semana que começa sem condição para chuvas. “Uma nova frente fria deve passar pelo litoral de São Paulo entre os dias 26 e 27 de junho, porém com fraca intensidade esta deve ser a primeira do inverno”, finaliza Nazário, técnico em meteorologia do CGE da Prefeitura de São Paulo.


Inverno começa dia 21 de junho e transcorre com fenômeno El Niño

18/06/19 12:37 - Terça-feira

O inverno começa no dia 21 de junho, às 12h54, horário de Brasília e neste ano será regido por um El Niño de fraca intensidade, que é responsável pelo aquecimento anômalo das águas do Oceano Pacífico Equatorial. Com isto, nos próximos meses, podemos esperar temperaturas mais elevadas que o normal. Durante o inverno é comum a passagem de frentes frias associadas a massas de ar frio e a ocorrência de recordes de temperatura mínima. 


No período ocorre maior inclinação dos raios solares, associada aos dias mais curtos e noites mais longas. “Esse fato contribui para que, até meados de agosto, as temperaturas sejam, em média, as mais baixas de todo o ano, principalmente na faixa sul e leste do Estado paulista”, explica o técnico em meteorologia do CGE da Prefeitura de São Paulo, Adilson Nazário. 

Além disso, julho e agosto são historicamente os mais secos do ano na Capital paulista. Segundo dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, em julho são esperados 43,5mm com mínimas de 12,6°C e máximas de 22,9°C. Já em agosto, a média de chuvas é de 28,7mm com temperatura mínima de 13,5°C e máxima de 24,5°C. 


É comum também eventos de “estiagem”, com períodos prolongados sem chuva e temperaturas mais elevadas. Por conta disso, são observados dias com grande amplitude térmica. Ainda podem ocorrer a formação de nevoeiros e geadas em locais mais elevados e a inversão térmica, quando uma camada de ar quente se sobrepõe a uma mais fria. 


Durante o período, muitas vezes os índices de umidade relativa do ar ultrapassam 90% durante a manhã, enquanto, eventualmente, os menores percentuais ficam próximos dos 30% no período da tarde. 


A primavera começa dia 23 de setembro, às 04h50, é uma estação de transição entre o inverno, frio e seco, e o verão, quente e úmido. Nesta estação, será observado no Sudeste um aumento gradativo nas temperaturas e no volume de chuvas, que atinge o ápice nos meses de janeiro e fevereiro (verão). Esta primavera deve ser marcada pela presença do fenômeno global El Niño, que muda a direção dos ventos em altitude, provocando aumento das temperaturas.  



Capital paulista registra a madrugada mais fria do ano

09/06/19 10:50 - Domingo

De acordo com dados das estações meteorológicas automáticas do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, a madrugada deste domingo (09) foi a mais fria do ano. Foram registrados 9,4°C de média na cidade, já na região de Engenheiro Marsilac, no extremo sul da cidade, o valor foi ainda menor com 3,5ºC.

Anteriormente, a manhã mais fria do ano havia ocorrido em 25/05/2019 quando a cidade marcou 11,1°C em média e no mesmo dia, em Engenheiro Marsilac, Zona Sul, o valor foi de 9,3°C. “Esse quadro ocorre devido a atuação de uma massa de ar de origem polar. Além disso, o céu aberto favorece um maior resfriamento durante a madrugada, já que as nuvens atuam como um cobertor”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera. 

TENDÊNCIA PARA OS PRÓXIMOS DIAS:

Os próximos dias seguem com temperaturas baixas nas madrugadas e em elevação no decorrer do dia. O sol ajuda a diminuir a sensação de frio, principalmente no período da tarde.

Na segunda-feira (10) o sol favorece a elevação das temperaturas no decorrer do dia. Os termômetros variam entre mínimas de 12ºC e máximas que podem superar os 24ºC. Os índices de umidade entram em declínio e podem atingir valores próximos aos 30% no período da tarde. No final do dia a nebulosidade aumenta, porém não há expectativa de chuva para a Grande São Paulo.

A terça-feira (11) segue com sol e temperaturas em elevação. As mínimas oscilam em torno dos 13°C, enquanto as máximas podem superar os 25°C. Os índices de umidade podem atingir valores abaixo dos 30% nas horas mais quentes e não há previsão de chuva.

Julho de 2019


D S T Q Q S S
30 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31

Junho de 2019


D S T Q Q S S
26 27 28 29 30 31 1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30

Maio de 2019


D S T Q Q S S
28 29 30 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31