Sala de Imprensa

Feriado da Proclamação da República tem previsão de chuva

14/11/19 12:31 - Quinta-feira

De acordo com previsão do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, o tempo começa chuvoso na madrugada e manhã da sexta-feira (15), feriado da Proclamação da República, e dia em que também acontece em São Paulo, a primeira e segunda sessão dos treinos livres para o Grande Prêmio de Fórmula 1 “As precipitações variam de intensidade e o solo encharcado favorece a formação de alagamentos e deslizamentos nas áreas de risco”, comenta o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Thomaz Garcia. No decorrer da tarde, as instabilidades se afastam e não há previsão de chuva significativa. Mínima de 17°C e máxima de 23°C.


No sábado (16) o dia começa com céu encoberto. Há previsão apenas de chuviscos durante a manhã, mas durante a terceira sessão de treinos livres do Grande Prêmio de Fórmula 1, já não há condição para precipitação. A máxima alcança apenas os 25°C e a mínima de 16°C será registrada no período da noite.


Pouca coisa muda no domingo (17) dia do Grande Prêmio de Fórmula 1, que começa com muitas nuvens e segue com poucas aberturas de sol durante o dia. A mínima prevista é de 15°C e a máxima não deve superar os 26°C.  O céu permanece nublado com aberturas de sol, inclusive durante a corrida”, confirma Garcia, meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo.


De acordo com os modelos numéricos de previsão estendida, a próxima semana começa com predomínio de sol e tempo estável. As mínimas permanecem ligeiramente baixas durante o início do dia e as máximas seguem em elevação durante as tardes. Não há previsão de chuvas


Outubro termina com chuvas abaixo da média

01/11/19 12:47 - Sexta-feira

De acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas da Prefeitura de São Paulo, outubro terminou com 34,5mm de chuva, ou seja, foram 68,3% abaixo da média esperada para o mês, que é de 108,9mm. Foram registrados sendo 14 dias com precipitação, sendo o mais chuvoso em 28 de outubro com 13,4mm.  


“Em outubro tivemos a configuração de um bloqueio atmosférico sobre o Sudeste que manteve as chuvas concentradas no sul do Brasil e isso causou muitos dias ensolarados e baixos volumes de precipitação em São Paulo", explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Thomaz Garcia.


Segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, algumas subprefeituras registraram valores acima do computado na cidade, porém todas ficaram abaixo da média do mês:


Zona Norte - 37,9mm

Zona Leste - 41,4mm

Zona Sul - 28,8mm

Centro - 24,2mm

Zona Oeste - 23,4mm


Segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, que compila informações sobre os índices de chuva na Capital paulista desde 1995, este foi o segundo outubro mais seco, sendo o primeiro em 2014 com 17,9mm. Já o mais o mais chuvoso permanece o de 2001 com 215,2mm.


Durante o mês, a Defesa Civil Municipal decretou seis vezes estado de atenção para baixa umidade relativa do ar, que ocorre quando os índices ficam entre 21% e 30%. A temperatura média mínima esperada para outubro é de 16,6°C, já a média das máximas é de 26,4°C. Durante o mês a média da mínima foi de 17,3°C e a média da máxima ficou em 28,3°C.


A tarde mais quente do mês ocorreu no dia 14/10 com 35,3°C de média na Cidade. Já a manhã mais fria do mês ocorreu em 21 de outubro com 14,4°C. 


Para novembro são esperados 138,0mm de chuva com a média de temperatura mínima em 17,4°C e a média da máxima em 26,5°C. O mês segue sem influência de fenômenos climáticos e dentro da primavera, que termina dia 22 de dezembro, às 01h19 da manhã. 


São Paulo registra a maior temperatura máxima da primavera

02/10/19 18:01 - Quarta-feira

De acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, a tarde desta quarta-feira (02) foi a mais quente da primavera, que começou dia 23/09 às 04h50 da manhã. Foram 34,7°C de média na Cidade, superando a máxima registrada na terça-feira (01) quando os termômetros marcaram 32,3°C. A maior máxima do ano, permanece sendo 36,7°C de média na Cidade, ocorrida em 02/02/2019.


Na estação meteorológica automática do CGE da Prefeitura de São Paulo, localizada em Perus, Zona Norte, o valor foi ainda maior com 36,9°C registrados nesta quarta-feira (02). A média histórica de temperatura máxima para o mês de outubro é de 26,4°C e a mínima 16,6°C.


“Uma massa de ar seco que predomina no interior do Brasil, incluindo São Paulo, está impedindo a formação de nuvens carregadas que provocam chuvas e também a passagem de frentes frias. Porém esse quadro deve mudar no domingo (06) quando uma frente fria deve romper o bloqueio atmosférico, trazendo chuvas generalizadas, rajadas de vento e queda nas temperaturas máximas, amenizando o calor”, explica o técnico em meteorologia do CGE da Prefeitura de São Paulo, Adilson Nazário.


Nada muda nas condições atmosféricas na quinta-feira (03), que deve iniciar com termômetros na casa dos 18°C, predomínio de sol entre poucas nuvens e temperaturas em rápida expansão. As máximas atingem os 32°C e a umidade relativa do ar mais uma vez deve registrar valores abaixo dos 30%. No final da tarde a nebulosidade aumenta por conta a aproximação de uma frente fria com fraca atividade, mas não há previsão de chuvas para o leste paulista.


A sexta-feira (04) segue o padrão dos dias anteriores, sol entre poucas nuvens na maior parte do dia, e nublado no fim da tarde, mas sem risco de chuvas para a Capital paulista. Madrugada com termômetros em torno dos 17°C, temperatura máxima de 31°C e taxas de umidade do ar ligeiramente abaixo dos 30%.


Setembro terminou com temperaturas e chuvas dentro do esperado


Segundo a série histórica do CGE da Prefeitura de São Paulo, que compila dados de chuva desde 1995, setembro terminou como o 12° mais chuvoso. A média esperada para o mês é de 69,8mm e foram registrados 63,6mm o que equivale a 91,1% da média, ou seja, faltou apenas 8,9% para atingir a média.


"As chuvas foram mal distribuídas ao longo do mês. Os maiores volumes se concentraram nos primeiros dias, sendo o mais chuvoso em 01/09 com 27,3mm. Foram 18 dias com precipitação. Entre os dias oito e 18 de setembro não choveu, e entre 19 até 27 de setembro as chuvas ocorreram com fraca intensidade", comenta o técnico em meteorologia do CGE da Prefeitura de São Paulo, Adilson Nazário. O setembro mais chuvoso permanece o de 2015 com 198,6mm e o menos chuvoso o de 2011 com apenas 1,2mm.


Com relação às temperaturas, a média da mínima esperada para o mês era de 15,1°C mas o registro foi de 15,4°C, já a média da máxima era de 25,7°C, mas foram computados 25,2°C, ou seja, não houve grande oscilação com relação ao comportamento das temperaturas máximas e mínimas no mês. A maior média máxima ocorreu em 12/09 com 35,7°C na Cidade, já a menor média mínima ocorreu em 05/09 com 12,1°C.


Segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, a Defesa Civil Municipal decretou estado de atenção para baixa umidade relativa do ar cinco veze, que ocorre quando os índices ficam entre 30% e 21%. Já o estado de alerta, que ocorre quando os índices ficam entre 20% e 12% foi decretado duas vezes. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) o índice recomendado ideal para a saúde é 60%. 


Inverno é o 6º mais chuvoso desde 1995

23/09/19 18:17 - Segunda-feira

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas da Prefeitura de São Paulo, o inverno de 2019 foi o 6º mais chuvoso da série histórica, que armazena dados desde 1995. Com volume médio de 164,9mm registrados, este inverno quebrou a sequência de três temporadas secas (2016, 2017 e 2018), que registraram volumes abaixo da média esperada que é de 137,2mm. Isto equivale dizer que as chuvas neste inverno superaram a média histórica em 27,7mm, traduzidos para 20,2%. Em termos percentuais.  

Vale ressaltar que, o acumulado de 164,9mm compilados durante o inverno foi praticamente registrado em apenas cinco dias, ou seja: Nos dias quatro e cinco de julho o acumulado médio foi de 91,4mm e nos dias primeiro, dois e três de setembro, mais 46,6mm, perfazendo um total de 138,0mm. Este valor registrado em cinco dias é muito elevado, se comparado com o total registrado ao longo do inverno, que foi de 164,9mm.    

A explicação para um volume tão alto em poucos dias se justifica pela passagem de sistemas frontais e de cavados, que são áreas alongadas de baixa pressão atmosférica e que normalmente produzem altos volumes de precipitação.

O inverno mais chuvoso continua sendo o de 2009, que registrou 352,3mm ao longo da estação, e o menos chuvoso foi o de 2017, que registrou apenas 61,3mm. 

“Com o fim do inverno, gradativamente as chuvas passam a ser mais frequentes e volumosas, normalmente acompanhadas de fortes rajadas de vento e queda de granizo” explica Adilson Nazário, Téc. Meteorologia do CGE.

Em relação às temperaturas, este não foi um inverno rigoroso, mas tivemos uma sequência de dias frios no mês de julho. No geral, em julho as mínimas ficaram cerca de 1°C abaixo da média esperada e as máximas cerca de 0,4°C acima. Em agosto as mínimas ficaram ligeiramente abaixo da média histórica e as máximas em torno de 1,2°C acima. Já em setembro, até o final da estação ficaram 1,0°C acima da média. O dia mais frio da estação foi registrado em 07 de julho, quando a média da cidade foi de 5,0°C e a menor temperatura absoluta foi aferida no mesmo dia em Eng. Marsilac, com termômetros na marca dos (-0,2°C). 

  A falta de chuva e os dias ensolarados desde o amanhecer proporcionaram declínio acentuado dos índices de umidade durante as tardes, inclusive com valores abaixo dos 30%. Tanto o dia mais seco quanto a temperatura mais alta do inverno ocorreram em 12 de setembro, com temperatura média máxima de 35,7ºC e média de umidade mínima de 20%. 

  A persistência de bloqueios atmosféricos impediu muitas vezes o avanço livre de frentes frias e a formação de nuvens carregadas que provocam chuvas. Entretanto, vale ressaltar que este cenário é bastante comum nessa época do ano. Outro detalhe interessante é com relação aos dias com chuva no decorrer da estação, que contabiliza 94 dias. Segundo os dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas da Prefeitura de São Paulo apenas em 35 dias houve ocorrência de chuvas ou chuviscos na Capital paulista ao longo do inverno.

Este cenário aumenta as chances de queimadas e incêndios florestais e piora os índices de poluição, resultando consequentemente em má qualidade do ar. Os problemas relacionados com a saúde ficam mais evidentes, principalmente em crianças e idosos, como por exemplo as doenças respiratórias.

Previsão para os próximos dias

Os próximos dias serão de tempo instável em São Paulo, com previsão de chuvas mais significativas entre a terça-feira (24) e a quinta-feira (26). A intensidade das precipitações pode variar entre moderada a forte em alguns momentos, com a manutenção de temperaturas baixas, principalmente nas madrugadas. O sistema responsável pelas chuvas será a atuação de um "cavado", região alongada de baixa pressão atmosférica.

A terça-feira (24) deve iniciar com céu encoberto e termômetros em torno dos 12°C observados durante a madrugada. O dia será marcado por muitas nuvens e curtos períodos de sol. Por conta disso as temperaturas não sobem muito. A máxima não ultrapassa os 20°C e a sensação será de frio, com os ventos soprando do oceano em direção à costa paulista. Entre a tarde e à noite, áreas de instabilidade que se propagam a partir do interior do estado e provocam pancadas de chuva com até moderada intensidade. A umidade do ar segue elevada e acima dos 62%.

A quarta-feira (25) também será marcada por chuvas no decorrer do dia, em decorrência da atuação do sistema de baixa pressão (cavado). As chuvas iniciam a partir da madrugada e ganham força até o fim da tarde. As simulações mais recentes indicam que pode chover forte em alguns momentos, o que aumenta o potencial para a formação de alagamentos na Capital paulista e cidades da RMSP. As temperaturas variam entre mínima de 14°C e máxima de 19°C, com ventos constantes do quadrante sul/sudeste.


Primavera começa sem influência de fenômenos climáticos

20/09/19 15:13 - Sexta-feira

A primavera começa dia 23 de setembro às 04h50 da manhã, horário de Brasília. É uma estação de transição entre o inverno frio e seco e o verão quente e úmido.

Segundo dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, são esperados 357,5mm de chuva durante a estação, que termina dia 22 de dezembro quando começa o verão, às 01h19 da manhã, no horário de Brasília.

“Os modelos numéricos de previsão apontam que a primavera deve transcorrer com neutralidade climática, ou seja, sem a influência do fenômeno El Niño, que esquenta as águas do Pacífico Equatorial, e La Niña, que esfria as águas do Pacífico equatorial. Há previsão de um pequeno aquecimento nas águas do Pacífico entre o fim da primavera início do verão, entretanto a maioria das simulações ainda não indica o retorno do fenômeno El Niño”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.

As últimas simulações mostram chuvas próximas a normalidade durante a maior parte da primavera, entretanto os modelos de previsão indicam que o final da estação pode ser mais chuvoso do que o normal. Dessa forma, a previsão é de que a próxima estação deve terminar com chuvas e temperaturas ligeiramente acima do esperado, principalmente para a faixa litorânea e sul do estado. 

Durante a primavera, são esperadas grandes oscilações de temperaturas, além disso podem ocorrer ondas de frio tardias que se estendem por alguns dias com mínimas e máximas abaixo da média esperada, que seria entre 15°C e 19°C as mínimas e 26°C e 28°C as máximas.

Com a aproximação do verão, a temperatura e a umidade aumentam, e as chuvas ficam mais frequentes e volumosas. Conforme dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, para o verão são esperados 655,8mm de chuva. As mínimas oscilam entre 18°C e 20°C e as máximas entre 29°C e 30°C.


Quinta-feira (12) com novo recorde de calor neste inverno

12/09/19 18:23 - Quinta-feira

De acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas do CGE da Prefeitura de São Paulo, a tarde desta quinta-feira (12) foi a mais quente do inverno, que começou no dia 21/06 e termina em 23/09/2019. Foram 35,7°C de média na Cidade. Já na estação de Pinheiros, Zona Oeste, o valor foi ainda maior com 37,6°C, o mesmo aferido na tarde da última quarta-feira (11).  A média histórica de temperatura máxima para o mês de setembro é de 25,7°C e a mínima 15,1°C.

A maior máxima do ano, ocorreu em 02/02/2019 quando a média na Cidade ficou em 36,7°C. E a maior máxima do inverno, até então, havia ocorrido no dia 11/09 quando a média na Cidade ficou em 35°C

 “O bloqueio atmosférico imposto pela massa de ar seco que predomina sobre o interior do país segue impedindo que os sistemas frontais cheguem ao litoral paulista com força para provocar chuvas generalizadas. Entretanto, a propagação de uma frente fria de fraca atividade pelo oceano deve amenizar um pouco o tempo seco e o calor até o próximo sábado (14). No domingo (15) volta a fazer calor em São Paulo”, explica o Téc. em Meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Adilson Nazário.

A umidade relativa do ar entrou em declínio, atingindo valores críticos na tarde desta quinta-feira (12). De acordo com as estações meteorológicas da Prefeitura de São Paulo, os índices chegaram a ficar abaixo dos 20% nas horas de maior aquecimento. A Defesa Civil Municipal decretou estado de atenção a partir das 11h35, quando a umidade do ar ficou abaixo dos 30%, e posteriormente estado de alerta a partir das 14h00, quando os índices atingiram valores abaixo dos 20% em diversas regiões da cidade.

Tendência para os próximos dias:

Na sexta-feira (13) os ventos úmidos que passam a soprar do mar em direção à costa paulista provocam aumento de nuvens e chuviscos ocasionais na madrugada, que deverá registrar temperatura média de 16°C. A maior quantidade de nuvens não permite a expansão livre da s temperaturas no decorrer do dia. A máxima deve ficar em torno dos 22°C, amenizando desta forma o forte calorão registrado nos últimos dias. Os índices de umidade do ar se elevam, onde os menores valores oscilam em torno dos 60%. No período da noite não se descarta a ocorrência de garoa de forma isolada, em decorrência da circulação marítima provocada pela alta pressão atmosférica sobre o oceano.

O sábado (14) será marcado por um amanhecer com sol entre muitas nuvens e termômetros por volta dos 16°C. No decorrer do dia a temperatura máxima apresenta discreta elevação e atinge os 25°C, enquanto as taxas de umidade do ar oscilam entre 50% e 90%. O dia termina com variação de nebulosidade e ventos soprando do quadrante sul/sudeste, mas sem previsão de chuvas para a Capital e Grande São Paulo.


Capital paulista registra novo recorde de calor neste inverno

11/09/19 18:20 - Quarta-feira

De acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas CGE da Prefeitura de São Paulo, a tarde desta quarta-feira (11) foi a mais quente do inverno, que começou no dia 21/06 e termina em 23/09/2019. Foram 35°C de média na Cidade. Já na estação de Pinheiros, Zona Oeste, o valor foi ainda maior com 37,6°C. A média de temperatura máxima para o mês de setembro é de 25,7°C, já a média da mínima é de 15,1°C.

A maior máxima do ano, ocorreu em 02/02/2019 quando a média na Cidade ficou em 36,7°C. E a maior máxima do inverno, até então, havia ocorrido no dia 10/09 quando a média na Cidade ficou em 33,5°C. Enquanto a menor mínima do ano e do inverno ocorreu em 07/07/2019 quando a Cidade registrou média de 5°C, conforme dados do CGE da Prefeitura de São Paulo. Já a tarde mais fria do ano e do inverno ocorreu em 04/08 com 11,7°C na Cidade.

“A grande massa de ar seco que segue predominando sobre o interior do país, mantém o tempo seco e ensolarado. Além disso, um sistema frontal sobre a Região Sul ajuda a transportar o ar mais quente do Centro-Oeste para o Estado de São Paulo, o que agrava ainda mais a situação com os baixos índices de umidade", explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.

A umidade relativa do ar entrou em declínio, atingindo valores críticos nesta tarde. De acordo com as estações meteorológicas da Prefeitura de São Paulo, os índices chegaram a ficar abaixo dos 20% nas horas mais quentes. A Defesa Civil Municipal decretou estado de atenção a partir das 12h00, quando a umidade do ar ficou abaixo dos 30%, e posteriormente estado de alerta a partir das 15h10, quando os índices atingiram valores abaixo dos 20% em várias regiões da cidade.

Tendência para os próximos dias:

O bloqueio atmosférico, provocado pela massa de ar seco que predomina sobre o interior do país, impede que os sistemas frontais cheguem ao litoral paulista com força para provocar chuvas generalizadas. Entretanto, a propagação de uma frente fria fraca pelo oceano deve amenizar um pouco o tempo seco e o calor no final da semana.

A quinta-feira (12) segue com sol e calor para a época do ano. Os termômetros variam entre mínimas de 18ºC e máximas podem superar os 33ºC. No final do dia uma frente fria de fraca atividade se propaga afastada da costa, provocando mais nebulosidade e rajadas de vento do que chuva na Grande São Paulo.

Na sexta-feira (13) os ventos úmidos que passam a soprar do oceano causam nebulosidade e chuviscos, principalmente durante a madrugada e no período da noite. O sol pode aparecer entre muitas nuvens, mas as temperaturas não sobem muito, variando entre mínimas de 16°C e máximas de 24°C.


Capital paulista tem a tarde mais quente do inverno

10/09/19 18:00 - Terça-feira

De acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas CGE da Prefeitura de São Paulo, a tarde desta terça-feira (10) foi a mais quente do inverno, que começou no dia 21/06 e termina em 23/09/2019. Foram 33,5°C de média na Cidade. Já na estação de Pinheiros, Zona Oeste, o valor foi ainda maior com 35,7°C. A média de temperatura máxima para o mês de setembro é de 25,7°C, já a média da mínima é de 15,1°C.

A maior máxima do ano, ocorreu em 02/02/2019 quando a média na Cidade ficou em 36,7°C. E a maior máxima do inverno, até então, havia ocorrido no dia 31/08 quando a média na Cidade ficou em 32,1°C. Enquanto a menor mínima do ano e do inverno ocorreu em 07/07/2019 quando a Cidade registrou média de 5°C, conforme dados do CGE da Prefeitura de São Paulo. Já a tarde mais fria do ano e do inverno ocorreu em 04/08 com 11,7°C na Cidade.

“Uma grande massa de ar seco predomina sobre o interior do país, o que mantém o tempo seco e ensolarado. Além disso, um sistema frontal sobre a Região Sul ajuda a transportar o ar mais quente do Centro-Oeste para o Estado de São Paulo, favorecendo a ocorrência de temperaturas elevadas para a época do ano", explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.

Tendência para os próximos dias:

O bloqueio atmosférico, provocado pela massa de ar seco sobre o interior do país, mantém o tempo seco e estável com temperaturas elevadas para a época do ano. Alerta-se que os índices de umidade devem atingir níveis críticos, abaixo dos 30%, durante as tardes.

Na quarta-feira (11) o tempo segue seco e ensolarado com temperaturas elevadas e baixos índices de umidade no período da tarde. As temperaturas variam entre mínimas de 18°C e máximas de 33°C.

A quinta-feira (12) segue com sol e calor para a época do ano. Os termômetros variam entre mínimas de 18ºC e máximas podem chegar aos 32ºC. No final do dia uma frente fria de fraca atividade se propaga afastada da costa, provocando mais nebulosidade e rajadas de vento do que chuva na Grande São Paulo.


Agosto termina com chuvas abaixo da média

02/09/19 12:57 - Segunda-feira

De acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas da Prefeitura de São Paulo, agosto deste ano terminou com apenas 8,7mm de chuva, sendo que a média do mês é de 29,0mm, ou seja, 70% abaixo do esperado.

“Agosto é o mês mais seco do ano em São Paulo, é comum a ocorrência de chuvas que atingem a média esperada em apenas um dia. Neste ano porém, as frentes frias não conseguiram ultrapassar os bloqueios atmosféricos e causar chuvas mais regulares”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.


O dia 31 foi o mais chuvoso do mês com 2,3mm. Todas as subprefeituras registraram valores abaixo do esperado para o mês:

 

Zona Sul - 14,3mm

Zona Norte - 8,1mm

Zona Leste - 5,9mm

Zona Oeste - 6,8mm

Centro - 4,8mm

 

Segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, o agosto menos chuvoso foi em 2007 quando não houve índice, já o mais chuvoso foi o de 2000 com 73,8mm. Este agosto, de 2019 foi o 9º mais seco desde 1995.


Durante o mês, apenas os dias um, dez, 18 e 31 registraram índices de umidade entre 21% e 30% onde a Defesa Civil Municipal decretou estado de atenção para baixa umidade relativa do ar.


A temperatura média mínima esperada para agosto é de 13,5°C, já a média das máximas é de 24,5°C. Durante o mês a média da mínima foi de 12,9°C e a média da máxima ficou em 23,3°C, ou seja, 0,6°C abaixo e 1,2°C abaixo respectivamente.


A tarde mais quente do inverno ocorreu no mês de agosto, no dia 31, quando as máximas marcaram 32,1°C. Já a tarde mais fria do inverno ocorreu em 04 de agosto com 11,7°C. A manhã mais fria do ano e do inverno permanece a do dia 07/07 com 5°C.


Para setembro são esperados 69,8mm de chuva com a média de temperatura mínima em 15,1°C e a média da máxima em 25,7°C.  A primavera começa dia 23/09 às 04h50 e é uma estação de transição entre o inverno frio e seco e o verão quente e chuvoso.


São Paulo registra a maior temperatura máxima do inverno

31/08/19 17:07 - Sábado

De acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas CGE da Prefeitura de São Paulo, a tarde deste sábado (31) foi a mais quente do inverno, que começou no dia 21/06 e termina em 23/09/2019. Foram 32,1°C de média na Cidade. Já na estação de Jaçanã / Tremembé, Zona Norte, o valor foi ainda maior com 33,3°C. A média de temperatura máxima para o mês de agosto é de 24,5°C, já a média da mínima é de 13,5°C.

A maior máxima do ano, ocorreu em 02/02/2019 quando a média na Cidade ficou em 36,7°C. E a maior máxima do inverno, até então, havia ocorrido no dia 12/08 quando a média na Cidade ficou em 30,3°C. Enquanto a menor mínima do ano e do inverno ocorreu em 07/07/2019 quando a Cidade registrou média de 5°C, conforme dados do CGE da Prefeitura de São Paulo. Já a tarde mais fria do ano e do inverno ocorreu em 04/08 com 11,7°C na Cidade.

“A massa de ar seco que predomina sobre o interior do país mantém o tempo ensolarado, enquanto que a aproximação de uma frente fria sobre a região sul traz o ar mais quente do Centro-Oeste para o estado de São Paulo, o que favorece a elevação das temperaturas", explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.

No mês de agosto é comum observarmos grande amplitude térmica, que é a diferença entre as máximas e mínimas ocorridas num mesmo dia. Essa condição meteorológica se dá em função de bloqueios atmosféricos que resultam na falta de chuva e consequente elevação das temperaturas ao longo dos dias.

Tendência para os próximos dias

A propagação de um sistema frontal pelo litoral paulista deve mudar um pouco o tempo entre o final do domingo e o início da próxima semana. Esse sistema não deve causar chuvas volumosas, mas serve para melhorar a qualidade do ar e elevar os índices de umidade na Grande São Paulo.

No domingo (01) o sol aparece entre nuvens e favorece a elevação das temperaturas. As mínimas oscilam em torno dos 16°C, enquanto as máximas podem superar os 26°C. A aproximação de uma frente fria muda o tempo, causando aumento de nebulosidade e rajadas de vento no decorrer da tarde. As chuvas devem ocorrer na forma de pancadas isoladas.

A segunda-feira (02) deve apresentar maior nebulosidade e chuvas isoladas que se alternam com períodos de melhoria no decorrer do dia, devido a propagação do sistema frontal pelo litoral paulista. Os termômetros variam entre mínimas de 14ºC e máximas que não devem superar os 23ºC.

Novembro de 2019


D S T Q Q S S
27 28 29 30 31 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30

Outubro de 2019


D S T Q Q S S
29 30 1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31

Setembro de 2019


D S T Q Q S S
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30