Sala de Imprensa

Julho termina com chuvas abaixo da média esperada

01/08/20 10:30 - Sábado

Segundo dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas CGE da Prefeitura de São Paulo, julho termina como o 7º mais seco da série histórica do CGE, que compila informações de índices de chuva desde 1995.

Para o mês eram esperados 45,6mm mas foram registrados apenas 8,8mm, ou seja, aproximadamente 19,3% da média. Foram apenas oito dias com chuva e algumas regiões superaram o registrado no mês:

Zona Sul - 10,3mm

Centro - 9,3mm

Zona Oeste - 8,7mm

Zona Norte - 8,4mm

Zona Leste - 7,8mm

A subprefeitura que registrou o maior volume de chuvas no mês foi Parelheiros, Zona Sul, com 27,3mm, já a com menor  foi a Vila Maria/Guilherme, Zona Norte, com 5,5mm.

"A persistência do bloqueio atmosférico, massa de ar seco, em grande parte do mês desviou as frentes frias para o oceano, o que colaborou com os baixos índices pluviométricos", explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Thomaz Garcia.

De acordo com dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, os meses de julho mais secos foram:

2008 - 0,0mm

2017 - 0,3mm

2011 - 3,5mm

 

Já os mais chuvosos foram:

2009 - 149,0mm

2007 - 130,4mm

2019 - 96,3mm

 

Com relação às temperaturas, a média mínima esperada para julho, segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, que mantém informações essas medições desde 2004, era de 12,5°C mas o mês registrou média de 13,2°C. Já a média da máxima era de 22,9°C e foram 23,9°C no mês.

"Com toda a estabilidade atmosférica observada durante o mês, devido ao bloqueio atmosférico, o sol predominou e consequentemente as temperaturas observadas ficaram um pouco mais altas do que o normal" Comenta o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo".

Durante o mês de julho as temperaturas tiveram comportamento típico. Com relação às médias ocorridas nos bairros, o CGE registrou:

Menor mínima absoluta: 2,6°C dia 02/07 em Engenheiro Marsilac, Subprefeitura de Parelheiros, Zona Sul.

Maior mínima absoluta: 19,5°C no dia 13/07 na estação do CGE na Subprefeitura da SÉ, Centro.

Maior temperatura máxima absoluta: 30,0ºC em Itaquera no dia 07/07/2020

Menor temperatura máxima absoluta: 12,5°C nas estações de Engenheiro Marsilac e Parelheiros, Zona Sul.

Já as temperaturas observadas na Cidade, o CGE da Prefeitura de São Paulo registrou:

Maior temperatura máxima média: 28,1°C registrada nos dias seis e 28 de julho.

Menor temperatura máxima média: 15,0°C no dia 15/7

Menor temperatura mínima média: 9,2°C no dia 2/7

Maior temperatura mínima média: 16,7°C no dia 8/7

Agosto é o mês mais seco do ano e deve transcorrer dentro desta característica. São esperados 28,1mm de chuva, segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo. Já a média da máxima é de 13,5°C e a média da máxima é de 24,4°C.


Capital paulista tem a tarde mais fria do ano

15/07/20 16:55 - Quarta-feira

Segundo dados do Centro de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, a tarde desta quarta-feira (15) foi a mais fria do ano com 15°C de média na Cidade. A maior temperatura absoluta observada, ocorreu em São Miguel Paulista, Zona Leste com 17,1°C, já a menor máxima absoluta foi em Parelheiros e Engenheiro Marsilac, Zona Sul, com 12,5°C.

Anteriormente a tarde mais fria do ano, havia ocorrido em 27/06/2020 quando os termômetros marcaram média máxima de 15,4°C e a máxima absoluta mais baixa em Capela do Socorro, Zona Sul, com 13,9°C. O CGE da Prefeitura de São Paulo compila informações de temperatura na Capital paulista desde 2004.

" A combinação de céu encoberto e ventos frios de origem polar manteve a temperatura baixa na Capital paulista. A soma desses fatores contribuiu para que a sensação de frio fosse maior do que o valor aferido pelos termômetros”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Thomaz Garcia.

O ar frio de origem polar perde força e se afasta para o oceano. Até o fim de semana, o ar seco volta a predominar, o que vai garantir o retorno do tempo estável com redução dos índices de umidade e temperatura acima da média.

A quinta-feira (16) vai começar com muita nebulosidade e formação de névoa úmida. “Entre o fim da manhã e à tarde, o sol aparece entre nuvens, facilitando a elevação da temperatura. No final do dia, a entrada da brisa marítima favorece o aumento de nebulosidade, porém não há expectativa de chuva”, comenta Garcia. Mínima de 13°C e máxima de 21°C.

A sexta-feira (17) terá variação de nuvens ao amanhecer. Ainda pela manhã o sol aparece e passa a predominar, elevando a temperatura. A tarde será ensolarada e com temperatura agradável. Os termômetros oscilam entre 14°C na madrugada e 25°C no meio da tarde.


Junho termina como o quarto mais chuvoso da série histórica

30/06/20 20:03 - Terça-feira

De acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo, que compila informações pluviométricas desde 1995, junho termina como o 4º mais chuvoso da série histórica.

Foram 105,8mm de precipitação ao longo o mês, sendo que o esperado eram 50,5mm, ou seja, 110 % acima do esperado. O dia mais chuvoso foi o 27/06 com 57,4mm.

“Apesar de poucos eventos de chuva, e do estabelecimento de um bloqueio atmosférico em metade do mês, entre os dias dez e 25, que deixou o tempo seco e quente para a época do ano, junho fechou com precipitação muito acima da média devido a formação de uma área de baixa pressão associada a passagem de uma frente fria ao largo do litoral paulista entre os dias 26 e 27”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Thomaz Garcia.. “Essa condição meteorológica propiciou a formação de fortes áreas de instabilidade que se deslocaram do Paraná em direção a Grande São Paulo, provocando chuvas fortes e volumosas”, complementa Garcia.

Os meses de junho mais chuvosos, segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, foram:

2012 - 191,4mm

2016 - 170,9mm

2013 - 134,6mm

2020 - 105,8mm


As regiões da Capital paulista fecharam com os seguintes volumes de precipitação:

Zona Norte - 114,4mm

Centro - 111,6mm

Zona Leste - 108,3mm

Zona Oeste - 106,2mm

Zona Sul - 94,4mm

 

Já as cinco subprefeituras com maiores acumulados, segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, foram:

Itaim paulista (IT) Zona Leste – 138,5mm

Casa Verde (CV) Zona Norte - 128,4mm

Ermelino Matarazzo (EM) Zona Leste - 127,3mm

São Miguel paulista (MP) Zona Leste - 126,9mm

Freguesia do Ò (FO) Zona Norte - 125,0mm

 

O CGE da Prefeitura monitora as temperaturas na Capital paulista desde 2004 com 31 estações meteorológicas automáticas espalhadas pela Cidade:

Temperatura mínima esperada – 13,4°C - Média registrada – 15,1°C - 1,7°C acima.

Temperatura máxima esperada - 22,9°C - Média registrada 24,3°C - 1,4°C acima.

Sobre os recordes de temperatura durante o mês do junho, o CGE da Prefeitura de São Paulo, registrou:

Menor mínima absoluta - 3,9°C em Engenheiro Marsilac, Zona Sul, dia 24/06.

Maior máxima absoluta - 30,7°C em Itaquera, Zona Leste, dia 12/06

Máxima média mais alta - 28,5°C dia 12/06

Mínima média mais baixa - 10,9°C dia 01/06

Máxima média mais baixa - 15,4°C dia 27/06

Máxima absoluta mais baixa - 13,9°C em Capela do Socorro, Zona Sul, dia 27/06

Mínima média mais alta – 18,2°C dia 11/06

Mínima absoluta mais alta – 21°C na Sé/CGE, Centro dia 11/06

 

Com relação à umidade relativa do ar, a média mais baixa foi registrada em 22/06 com 36% na Cidade, já em Itaquera neste mesmo dia, o valor ficou em torno de 30,1%.

Segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, para julho são esperados 45,6mm de chuva. Já a média de temperatura mínima é de 12,5°C e a média de temperatura máxima é de 22,9°C.


Capital paulista tem a tarde mais fria do ano

27/06/20 17:46 - Sábado

De acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, a tarde deste sábado (27) foi a mais fria do ano com 15,4°C de média na Cidade. Em Capela do Socorro, Zona Sul, esse valor foi ainda mais baixo com 13,9°C de máxima. Já a temperatura mais alta registrada na Cidade foi em Itaquera, Zona Leste com 16,8°C.


Anterior a este recorde, a tarde mais fria do ano havia ocorrido em 24/05/2020 quando a Cidade registrou máxima de 16°C e no mesmo dia, Parelheiros, Zona Sul, 15°C de máxima. Segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, a mínima esperada para junho é de 13,4°C e máxima de 22,9°C. 


"O tempo permaneceu fechado e chuvoso ao longo do dia, o que impediu a elevação mais significativa das temperaturas já que o sol não apareceu. Além disso, os ventos frios e úmidos que passaram a soprar de sul e sudeste com a passagem da frente fria ajudaram a aumentar a sensação de frio”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.


A frente fria se afasta do litoral paulista e o tempo melhora nos próximos dias. O domingo (28) ainda deve começar com muita nebulosidade, chuviscos e sensação de frio durante a madrugada, mas o tempo melhora e o sol deve aparecer entre nuvens no decorrer do dia. As temperaturas variam entre mínimas de 12°C e máximas que não devem superar os 20°C.


A segunda-feira (29) deve apresentar sol entre nuvens e temperaturas em gradativa elevação no decorrer do dia. Os termômetros variam entre mínimas de 13ºC e máximas que podem chegar aos 23ºC. Não há previsão de chuvas significativas.


Com poucos dias para o fim do período, junho supera a média de chuvas

27/06/20 12:08 - Sábado

Segundo dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, neste dia 27/06/2020 até às 07h da manhã já foram contabilizados 76,3mm no mês, sendo que a média esperada é de 50,5mm, ou seja, já choveu 51% acima da média.

O dia 27/06/2020 segue como o mais chuvoso do mês com 28,3mm acumulados, até às 07h da manhã. No dia 26/06 das 07h até às 24h choveu 21,3mm.

"Essas chuvas ocorreram devido a propagação de uma frente fria pelo litoral paulista, que organizou uma grande área de instabilidade que se deslocou do Paraná, atravessando grande parte do Estado de São Paulo e chegando até a Capital paulista entre a noite de ontem e a madrugada de 27/06", explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.

De acordo com a série histórica do CGE da Prefeitura de São Paulo, que compila informações pluviométricas desde 1995, os anos de junho mais chuvosos foram:

2012 - 191,4mm

2016 - 170,9mm

2013 - 134,6mm

 

Já os menos chuvosos foram:

2002 - 1,5mm

2010 - 11,2mm

2000 - 12,2mm

 

Até às 07h da manhã do dia 27/06/2020 o volume de chuvas nas regiões da Capital paulista:

Zona Norte - 83,9mm

Zona Leste - 79,0mm

Centro - 82,2mm

Zona Oeste - 73,8mm

Zona Sul - 66,2mm

 

Até às 07h da manhã, as Subprefeituras com os maiores acumulados eram:

Itaquera (IT) Zona Leste - 102,5mm

Ermelino Matarazzo (EM) Zona Leste - 96,1mm

São Miguel paulista (MP) Zona Leste - 95,8mm

Casa Verde (CV) Zona Norte - 93,2mm

 

De acordo com os modelos numéricos de previsão estendida, nos próximos dias as chuvas diminuem e o sol retorna entre nuvens, favorecendo a gradativa elevação das temperaturas ao longo do dia.


Inverno tem previsão de chuvas abaixo da média

19/06/20 11:30 - Sexta-feira

Segundo os modelos numéricos de previsão estendida, o inverno, que começa neste sábado dia 20/06/2020, às 18h44, horário de Brasília, deve transcorrer, na maior parte dos meses, sob condições de neutralidade climática, ou seja, sem El Niño, que se classifica pelo aquecimento anômalo das águas do Pacífico Equatorial e sem La Niña, que se classifica pelo esfriamento anômalo das águas do Pacífico Equatorial. Porém entre o fim da estação e o início da primavera, pode ocorrer a atuação de um La Niña de fraca atividade.

O Inverno deve transcorrer com chuvas abaixo da média esperada, que de acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, é de 137,2mm.

“Isso não quer dizer necessariamente que não haverá chuva, mas que ela deve ocorrer de forma mais escassa e irregular”, comenta o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.

A previsão para o inverno é de temperaturas próximas ou ligeiramente acima da média para a região da Grande São Paulo. A média das mínimas no início da estação deve oscilar em 13,4°C e a média das máximas em torno de 22,9°C. Porém até o fim da estação são esperadas mínimas em 15,1°C e máximas em torno de 25,6°C.

“Essa condição provavelmente ocorre em função da previsão para chuvas abaixo do normal para a região, o que implica em maiores períodos de tempo seco e ensolarado, que resultam em temperaturas acima do esperado, principalmente as máximas", explica Pantera, meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo.


Outono

O outono, que começou dia 20/03/2020 às 00h50, termina com chuvas abaixo da média esperada para a estação que era de 213,8mm, segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo. As chuvas totalizaram 68,5mm, ou seja, um valor 68% abaixo do esperado.

De acordo com esses valores, este foi o segundo outono mais seco desde 1995, quando começaram as medições do CGE, ficando atrás apenas na estação observada no ano 2000, quando as precipitações acumularam apenas 50,2mm.

O CGE da Prefeitura de São Paulo faz as medições das temperaturas mínimas e máximas na Capital paulista desde 2004, com base em 29 estações meteorológicas espalhadas pela Cidade. Durante a estação, foram registrados:

8,7°C - Mínima média mais baixa na Cidade em 27/05/2020 e também em 28/05/2020

1°C - Mínima absoluta mais baixa em 27/05/2020 em Engenheiro Marsilac, Zona Sul

31,1°C - Máxima média mais alta na Cidade em 06/04/2020

33,4°C - Máxima absoluta mais alta em 06/04/2020 em Itaquera, Zona Leste.

19,8°C - Mínima média mais alta da Cidade em 20/03/2020

21,1°C - Mínima absoluta mais alta em Itaquera em 20/03/2020

16,0°C - Máxima média mais baixa da Cidade 24/05/2020

14,1°C - Máxima absoluta mais baixa em Engenheiro Marsilac, Parelheiros, Zona Sul, em 07/05/2020.


Maio termina com chuvas abaixo da média

01/06/20 10:14 - Segunda-feira

Conforme dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, que compila informações de pluviométricas desde 1995, o mês de maio de 2020 termina com 13,9mm de chuva, ou seja, 76,2% abaixo da média esperada de 58,3mm.

"O mês de maio de 2020 foi marcado pela rápida passagem de quatro frentes frias de fraca atividade e baixo volume de chuvas. Após a passagem dos sistemas frontais, o ar seco e frio de retaguarda propiciou noites de céu claro que colaboraram para a rápida perda radiativa da superfície, e consequentemente a queda da temperatura", comenta o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Thomaz Garcia.

Classificado como o 4º maio mais seco da série histórica do CGE da Prefeitura de São Paulo, os anteriores foram:

1º - maio de 2000 - 8,6mm

2º - maio de 2006 - 11,6mm

3º - maio de 2018 - 13,4mm

4º - maio de 2020 - 13,9mm

O dia mais chuvoso do mês foi 06/05/2020 com 7,4mm de chuva na Cidade e as subprefeituras que registraram os maiores volumes de precipitação ao longo do mês foram:

Parelheiros, Zona Sul - 25,7mm

Itaim paulista, Zona Leste - 24,8mm

São Miguel paulista, Zona Leste - 23,0mm

Ermelino Matarazzo, Zona Leste - 22,2mm

Já os 4 meses de maio mais chuvosos, segundo a série histórica do CGE da Prefeitura de São Paulo, que compila informações de índices pluviométricos desde 1995, foram:

2016 - 212,1mm

2005 - 151,8mm

2017 - 144,4mm

1998 - 106,3mm

Com relação às temperaturas, a média da mínima esperada para maio, segundo o CGE da Prefeitura de São Paulo é de 14,7°C, já a média da máxima 23,4°C. Durante o mês a média da mínima ficou em 12,5°C e da máxima em 23,6°C.

"A média das temperaturas mínimas ficou 2,2°C abaixo do esperado, devido principalmente as ondas de frio da segunda quinzena de maio que provocaram inclusive, uma sequência de recordes de temperatura mínima", explica Garcia.

A máxima mais alta do mês foi registrada em 01/05 com 28,1°C de média na Cidade, já a mínima mais baixa ocorreu no dia 27 com média de 8,7°C na Cidade. Enquanto a menor temperatura absoluta do mês ocorreu em 27/05/2020 com 1°C em Engenheiro Marsilac, Zona Sul, também classificada como a menor mínima absoluta para um mês de maio, segundo a série histórica do CGE da Prefeitura de São Paulo que compila informações de temperatura na Capital paulista desde 2004. Antes deste recorde a menor absoluta do ano e de todo o compilado de dados do CGE, havia ocorrido em 21/05/2018 em Capela do Socorro, Zona Sul com 3,2°C.

A menor temperatura máxima do mês e do ano, até o momento, ocorreu em 24/05/2020 com 16°C de média na Cidade. Já no dia 07/05/2020 na estação meteorológica do CGE da Prefeitura de São Paulo localizada em Engenheiro Marsilac, Zona Sul, foi registrada a menor máxima absoluta com 14,1°C.

Para o mês de junho, segundo dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, são esperados 50,5mm de chuva, temperatura mínima média de 13,4°C e máxima média de 22,9°C.

No dia 20/06 às 18h44 começa o inverno. "A estação mais fria e seca do ano da Capital paulista, termina em 22/09/2020 e se caracteriza por uma estabilidade atmosférica que normalmente provoca longos períodos de estiagem e consequentemente a queda dos índices de umidade relativa do ar", finaliza o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo.


Abril termina como o terceiro mais seco da série histórica

01/05/20 11:45 - Sexta-feira

Segundo dados do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo, que compila informações pluviométricas desde 1995 na Capital paulista, abril de 2020 termina como o terceiro mais seco da série histórica, com 5,6mm de chuva, que corresponde a praticamente 92% abaixo dos 67,2mm esperados para o mês.

Anterior a este ano, os mais secos haviam ocorrido em:

2016 - 3,2mm

2000 -  3,5mm

2020 – 5,6mm

Por outro lado, o maior acumulado foi registrado em:

2012 - 145,3mm

2004 – 127,3mm

2019 - 127,3mm

 

“Entre o final de 2019 e o início deste ano tivemos um cenário de chuvas abaixo do normal, já que apenas fevereiro apresentou volumes acima do esperado. A grande coincidência foi que este abril, assim como o último março, teve precipitação bem abaixo do normal e também terminou como o terceiro mais seco de acordo com a série histórica do CGE da Prefeitura de São Paulo”, explica o meteorologista do CGE, Michael Pantera.

Com relação às temperaturas, a média da mínima esperada para abril é de 17,5°C e a média da máxima de 26,4°C. Durante o mês a média da mínima ficou em 15,5°C e da máxima em 25,8°C.

A maior máxima do mês foi registrada no dia 02/04/2020 com 30,7°C de média na Cidade, já a menor mínima em 10/04/2020 com 13,1°C de média na Cidade.

A menor temperatura absoluta no mês foi 6,8°C dia 10 de abril na estação meteorológica automática localizada em Engenheiro Marsila, Zona Sul. Já a maior temperatura absoluta, foi 33,4°C no dia 06 de abril na estação meteorológica automática localizada em Itaquera, Zona Leste.

A maior temperatura máxima do ano permanece a registrada em 01/01/2020 com 33,7°C de média na Cidade. Já a menor mínima do ano ocorreu em 10/04/2020 com 13,3°C de média na Cidade.

A tarde mais fria do ano foi registrada em 08/04/2020, quando os termômetros não superaram os 19,6°C de média na Cidade. Por outro lado, a madrugada mais abafada do ano ocorreu em 11/01/2020, com as temperaturas mínimas oscilando em torno dos 22,5°C na Capital paulista.

“Segundo os modelos numérico de previsão estendida, o mês de maio segue sem a influência de fenômenos climáticos como El Niño e La Niña, caracterizados pelo aquecimento ou resfriamento anômalo das águas do Pacífico equatorial, respectivamente, e transcorre sob condições típicas de outono, que vai até 20 de junho, ou seja, seco com tardes agradáveis e madrugadas mais frias”, explica Pantera, meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo.

De acordo com dados do CGE da Prefeitura de São Paulo, a média de chuvas para maio é de 58,3mm enquanto a média da temperatura mínima para o mês é de 14,7°C e a média para a máxima de 23,4°C.


Feriado do Dia do Trabalho tem previsão de chuvas isoladas

30/04/20 11:19 - Quinta-feira

De acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo, a sexta-feira (01), feriado do Dia do Trabalho, deve apresentar sol entre nuvens e temperaturas em elevação no decorrer do dia. Os termômetros variam entre mínimas de 16ºC e máximas que podem superar os 27ºC. "No final da tarde a nebulosidade aumenta e podem ocorrer chuvas na forma de pancadas isoladas, associadas principalmente com o sistema frontal no oceano” comenta o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Michael Pantera.

“O sistema frontal no oceano ajuda amenizar um pouco o tempo seco, melhorando os índices de umidade e aumentando a nebulosidade nos próximos dias, porém as chuvas ainda devem ocorrer de forma isolada e irregular”, explica Pantera, meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo.

No sábado (02) uma área de baixa pressão se junta ao sistema frontal no oceano, o que deve deixar o tempo mais instável com maior cobertura de nuvens na Grande São Paulo. As temperaturas variam entre mínimas de 17°C e máximas que podem superar os 26°C. “As chuvas ainda ocorrem de forma isolada e irregular, concentradas no período da tarde. Os ventos passam a soprar do quadrante sul com rajadas moderadas, o que provoca declínio das temperaturas no final do dia”, complementa, Pantera.

No domingo (03) os ventos passam a soprar do quadrante sul e sudeste, causando nebulosidade e declínio das temperaturas no decorrer do dia. Há condição para garoa e chuviscos alternados com períodos de melhoria ao longo do dia. Temperatura mínima de 14°C e máxima de 20°C.

De acordo com os modelos numéricos de previsão estendida, no início da próxima semana o sol retorna entre nuvens elevando as temperaturas no decorrer do dia, porém as temperaturas serão baixas nas madrugadas. Na metade da semana uma frente fria favorece o retorno das chuvas de forma mais significativa para a Grande São Paulo.


Feriado de Tiradentes tem previsão de tempo estável

17/04/20 12:20 - Sexta-feira

De acordo com previsão dos meteorologistas do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo, o fim de semana que antecede o feriado prolongado de Tiradentes, terá muita nebulosidade, sem chuvas e com temperaturas abaixo da média para a época do ano.

O sábado (18) terá muitas nuvens e poucas aberturas de sol. Há possibilidade de chuviscos no fim da tarde e à noite. A temperatura varia entre 14°C ao amanhecer e 23°C à tarde. No domingo (19), pouca coisa muda. O sol aparece entre nuvens, mas a temperatura praticamente se mantém estável. Mínima de 14°C e máxima de 24°C.

Na segunda-feira (20) Mínima de 15°C e máxima de 25°C. Na terça-feira (21), feriado de Tiradentes, Mínima de 15°C e máxima de 26°C. Sem expectativa de chuvas.

"A persistência de sistemas de alta pressão atmosférica entre a Região Sul e o estado de São Paulo está dificultando a formação e nuvens que provocam chuva e desviando as frentes frias para o alto mar. Por conta disso, a Capital paulista está vivendo um abril com pouquíssima chuva e a tendência é de que esse cenário não mude até o final do mês”, explica o meteorologista do CGE da Prefeitura de São Paulo, Thomaz Garcia.

Agosto de 2020


D S T Q Q S S
26 27 28 29 30 31 1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31

Julho de 2020


D S T Q Q S S
28 29 30 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31

Junho de 2020


D S T Q Q S S
31 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30